SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número3Modelling the respiration of mango (mangifera indica l.) using the closed system method at different temperaturesPromoção do crescimento de mudas frutíferas por meio de microrganismos encapsulados índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

SILVA, Aline Priscilla Gomes da et al. Frutos de ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata miller) maduros expressam maiores conteúdos de compostos bioativos e capacidade antioxidante. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2018, vol.40, n.3, e-749.  Epub 10-Jul-2018. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452018749.

Pereskia aculeata Miller é uma cactaceae nativa encontrada do Nordeste ao Sul Brasileiro. A planta é reconhecida pelo alto valor nutritivo das folhas, parte mais utilizada na culinária e na medicina popular. Entretanto, trabalhos sobre as características químicas e a capacidade antioxidante dos frutos de ora-pro-nóbis são escassos. Diante disso, o objetivo deste estudo foi determinar o melhor ponto de colheita em frutos de ora-pro-nóbis, visando a otimizar a presença de compostos bioativos e a capacidade antioxidante. Os frutos foram colhidos manualmente, e os três estádios de maturação foram definidos pela coloração da casca, sendo: estádio verde (coloração verde), intermediário (coloração verde - amarelada) e maduro (coloração amarela). Os atributos avaliados foram os sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT), relação SS/AT, pH, e os compostos bioativos, como as clorofilas totais,carotenoides totais, flavonoides amarelos, compostos fenólicos totais e capacidade antioxidante. Houve diminuição da clorofila e aumento no teor de carotenoides totais e flavonoides amarelos, em função do avanço no estádio de maturação. Para os compostos fenólicos totais, não houve diferença significativa entre os estádios avaliados. A capacidade antioxidante foi quantificada pelo método ORAC, em polpa liofilizada no estádio verde, (1,95 mmol 100 g-1 trolox) e maduro (3,85 mmol 100 g-1 trolox). Os menores teores foram observados no estádio intermediário (0,80 mmol 100 g-1 trolox em polpa liofilizada). O estádio de maturação influenciou de forma significativa sobre os compostos bioativos de ora-pro-nóbis, que apresentaram valores mais elevados de carotenoides totais, flavonoides amarelos e capacidade antioxidante em frutos maduros.

Palavras-chave : Pereskia aculeata Miller; Índice de maturação; Ponto de colheita; Pós-colheita; Frutos nativos brasileiros.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )