SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número3Promoção do crescimento de mudas frutíferas por meio de microrganismos encapsuladosDependência micorrízica de porta-enxertos de citros índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

PEREIRA, Rafaela Alves et al. Manejo de matrizes interfere no rendimento e na qualidade de mudas de cacaueiros. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2018, vol.40, n.3, e-582.  Epub 25-Jun-2018. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452018582.

Foi avaliada a influência de dois manejos no rendimento e na qualidade de miniestacas plagiotrópicas de quatro clones de cacaueiro. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 2, sendo 4 clones x 2 manejos da planta- matriz (poda apical e envergamento), com 10 repetições e uma planta como unidade experimental. As plantas-matrizes usadas foram propagadas por enraizamento de estacas semilenhosas de ramos plagiotrópicos, e, aos sete meses de idade, duas mudas de cada clone foram transplantadas para vasos de 12 L preenchidos com substrato organomineral. Após o transplante, foi realizado o corte do ápice de uma das plantas, baseado na contagem das seis primeiras folhas a partir do ápice. Para o envergamento, os caules foram dobrados e fixados em posição horizontal. A primeira coleta de miniestacas foi realizada 30 dias após o transplante, e as outras, durante os sete meses seguintes. O rendimento de miniestacas foi contabilizado nas coletas, e parte foi usada para enraizamento e avaliação da qualidade de mudas. Após 90 dias de enraizadas, 10 miniestacas enraizadas de cada clone foram avaliadas quanto à qualidade, usando-se como referência o índice de qualidade de Dickson (IQD). Outras 10 miniestacas enraizadas foram transplantadas para sacos de polietileno de 1,5 L e mantidas em casa de vegetação por mais 120 dias, até à avaliação final da qualidade, aos 210 dias. Os dados foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Foi realizado teste de normalidade de Shapiro-Wilk e análise de correlação de Pearson. O manejo com envergamento foi mais eficiente na produção média de miniestacas, especialmente para o clone BN 34. O índice de qualidade de Dickson foi correlacionado com a massa seca da raiz, tanto aos 90 quanto aos 210 dias, sendo o envergamento responsável pelos melhores IQDs. A variável altura não se mostrou adequada para estimar a qualidade de mudas de cacaueiro.

Palavras-chave : índice de qualidade; poda apical; miniestacas.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )