SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número3Manejo de matrizes interfere no rendimento e na qualidade de mudas de cacaueirosEstrutura da variabilidade fenotípica de caracteres de frutos e sementes em populações naturais de Eugenia dysenterica dc. (Myrtaceae) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

MIRANDA, Priscila Batista; MELLO, Andrea Hentz de  e  KUPPER, Katia Cristina. Dependência micorrízica de porta-enxertos de citros. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2018, vol.40, n.3, e-762.  Epub 25-Jun-2018. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452018762.

Os microrganismos promotores de crescimento de plantas, como os fungos micorrízicos, têm sido muito utilizados na agricultura, por auxiliarem os vegetais na absorção de nutrientes e de água, influenciando no crescimento destes. Objetivou-se com este trabalho verificar os efeitos da associação micorrízica de Glomus clarum e Glomus etunicatum no crescimento inicial dos porta-enxertos Limão- cravo, Citrumelo swingle e Tangerina sunki. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado,em arranjo fatorial 3 x 4, com cinco repetições, correspondendo a três porta-enxertos, quatro manejos, sendo os manejos: adubação mineral (ADB), inoculação com Glomus clarum (IGC), inoculação com Glomus etunicatum (IGE) e Controle. As mudas foram produzidas em estufa, utilizando como substrato vermicomposto de minhoca, distribuído em sacos de polietileno, depositando-se três sementes de cada porta-enxerto/saco. A inoculação com os fungos micorrízicos foi realizada no momento da semeadura (45 esporos de cada espécie/saco). A adubação mineral foi dividida em dois momentos: aplicação de fósforo antes da semeadura (40g de superfosfato simples/saco); aplicação de nitrogênio (1,7g dissolvidos em 40 mL de água), parcelado em oito aplicações de 5 mL da solução, via água de irrigação, manualmente, de forma semanal; e micronutrientes (B, Cu, Fe, Mn e Zn), aplicados com pulverizador manual, quinzenalmente. Foram avaliados altura, diâmetro do caule, número de folhas, massa seca da parte aérea e colonização, e dependência micorrízica. Verificou-se interação significativa entre os porta-enxertos e os manejos aplicados neste estudo, para a maioria das variáveis avaliadas. Limão cravo e Citrumelo swingle obtiveram maior altura, e o manejo que conferiu maior altura, aos porta-enxertos foram o ADB e o IGE. O maior diâmetro do caule foi atingido pelo Citrumelo swingle, e o manejo que proporcionou maior diâmetro foi o de IGE. Limão cravo apresentou dependência micorrízica moderada para Glomus clarum e marginal para G. etunicatum. A colonização micorrízica não apresentou interação significativa entre os porta-enxertos e os manejos com inoculação. A associação micorrízica de G. clarum e G. etunicatum não se apresentou como o melhor manejo para o crescimento das plantas de Limão-cravo, Citrumelo swingle e Tangerina sunki, quando comparado com a adubação mineral. No entanto, a inoculação de fungos micorrízicos proporcionou um efeito positivo na absorção de alguns nutrientes pelos porta-enxertos, especialmente, de K, Mg, N e P.

Palavras-chave : Associação micorrízica; Limão cravo; Citrumelo swingle; Tangerina sunki.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )