SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número4Comportamento da laranjeira ‘Cadenera’ sobre cinco porta-enxertosCrescimento de planta, produção e qualidade de frutos de tangor ‘Piemonte’ sobre 14 porta-enxertos no litoral norte do Estado da Bahia índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

RIBEIRO, Thais Destefani; MATTOS, Ricardo Wagner Pacopahyba de; MORAIS, Augusto Ramalho de  e  MUNIZ, Joel Augusto. Descrição do crescimento de frutos de pequizeiro por modelos não lineares. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2018, vol.40, n.4, e-949.  Epub 09-Ago-2018. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452018949.

O pequizeiro é uma espécie nativa do cerrado brasileiro, com ampla distribuição geográfica, cujo fruto é bastante apreciado na culinária, compondo pratos tradicionais. Em geral, o fruto do pequi é consumido quando maduro, na forma in natura ou nos diversos, produtos derivados tais como óleos, licores, doces, sorvetes, entre outros, envolvendo importante atividade socioeconômica geradora de emprego e renda na agricultura familiar. Este trabalho teve por objetivo avaliar o ajuste dos modelos Brody, Gompertz, Logístico e Von Bertalanffy no crescimento e no desenvolvimento de frutos de pequi, com base em suas características físicas, como diâmetro longitudinal e transversal, e massa fresca obtidos ao longo do tempo. Os parâmetros foram estimados por meio de rotinas do software R, utilizando-se do método de mínimos quadrados e o processo iterativo de Gauss-Newton. O ajuste dos modelos foi comparado, utilizando os critérios: desvio-padrão residual, coeficiente de determinação ajustado e critério de informação de Akaike corrigido. Em geral, os dados não apresentaram estrutura de erros correlacionados, e o modelo Von Bertalanffy não se ajustou aos dados de massa fresca. Os modelos apresentaram boa qualidade no ajuste aos dados de crescimento de pequi, exceto o modelo Brody para a variável massa fresca. Os modelos Gompertz e Logístico foram os que melhor descreveram as variáveis, sendo o Gompertz o mais indicado para descrever os dados de diâmetro e de massa. Com base no ajuste, observou-se um crescimento inicial lento até cerca de 20 dias após a antese; após este período, o fruto desenvolveu-se de modo mais acelerado até 90 dias e, então, apresentou tendência à estabilidade até o final da avaliação, aos 117 dias após a antese, com caráter sigmoide da curva. O fruto de pequizeiro obteve valores finais, em média, de 7,1 cm de diâmetro transversal, 6,8 cm de diâmetro longitudinal e 113g de massa fresca.

Palavras-chave : Modelos de crescimento; medidas biométricas; curvas sigmoides; ajuste de modelos; pequi.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )