SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número1Trombose venosa profunda e suspeita de tromboembolismo pulmonar: avaliação simultânea por meio de angiotomografia pulmonar e venotomografia combinadasPadronização do método para cálculo da captação renal absoluta do99mTc-DMSA em cria índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Radiologia Brasileira

versão impressa ISSN 0100-3984

Resumo

OLIVEIRA, Helena Willhelm de; VEECK, Elaine Bauer; SOUZA, Paulo Henrique Couto  e  FERNANDES, Ângela. Avaliação radiográfica da idade óssea em crianças infectadas pelo HIV por via vertical. Radiol Bras [online]. 2006, vol.39, n.1, pp. 27-31. ISSN 0100-3984.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-39842006000100007.

OBJETIVO: O presente trabalho teve por objetivo avaliar o desenvolvimento de crianças infectadas pelo vírus da imunodeficiência adquirida (HIV) por contaminação vertical, comparando-se dois métodos determinantes da idade óssea. MATERIAIS E MÉTODOS: Analisou-se uma amostra de 100 crianças, com idades variando de 4 anos e 2 meses a 11 anos e 9 meses, que realizaram radiografias de mão e punho tecnicamente padronizadas e que, posteriormente, foram analisadas segundo os critérios dos métodos de Greulich e Pyle (1959) e de Eklöf e Ringertz (1967). RESULTADOS: Os resultados obtidos mostraram diferenças estatísticas entre os métodos de análise radiográfica do desenvolvimento esquelético utilizados, com destaque para a maior sensibilidade em relação ao método de Eklöf e Ringertz (p < 0,05). O grupo feminino apresentou diferenças estatisticamente significantes entre os casos controle e HIV+ (sete casos) quando avaliados por este método (p < 0,05). CONCLUSÃO: Constatou-se, com a presente pesquisa, que houve a influência do HIV sobre o desenvolvimento esquelético neste grupo de pacientes.

Palavras-chave : Idade óssea; HIV; Crianças; Eklöf e Ringertz; Greulich e Pyle.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português