SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.53 número2Acurácia da ressonância magnética para o diagnóstico de hálux valgoRealce de fundo do parênquima: comportamento durante quimioterapia neoadjuvante para câncer de mama e relação com resposta patológica completa índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Radiologia Brasileira

versão On-line ISSN 1678-7099

Resumo

DALAVIA, Claudio Carvalho et al. O valor da intensidade do sinal na sequência de deslocamento químico ponderada em T1 associada a espectroscopia de ressonância magnética no diagnóstico de adenomas adrenais. Radiol Bras [online]. 2020, vol.53, n.2, pp.86-94.  Epub 17-Abr-2020. ISSN 1678-7099.  https://doi.org/10.1590/0100-3984.2019.0095.

Objetivo:

Investigar as vantagens do uso de medições do índice de intensidade de sinal modificadas em imagens de deslocamento químico (chemical shift), isoladamente ou em conjunto com a espectroscopia por ressonância magnética de prótons, no diagnóstico diferencial de adenomas adrenais.

Materiais e Métodos:

Estudo prospectivo envolvendo 97 pacientes com nódulos ou massas adrenais. O índice de intensidade do sinal (SII) foi calculado como [(intensidade do sinal na imagem em fase – intensidade do sinal na imagem fora de fase) ∕ (intensidade do sinal na imagem em fase)] × 100%. Determinamos as médias dos valores mínimo, médio e máximo da intensidade do sinal medida em três imagens consecutivas. Quando isso não foi possível (para lesões menores), usamos uma ou duas imagens. Nós empregamos uma região de interesse que cobria de metade a dois terços da massa. Todos os índices foram comparados com razões metabólicas derivadas da espectroscopia: lactato/creatina, glutamato-glutamina/creatina, colina/creatina, colina/lipídio, 4,0–4,3 ppm/creatina e lipídio/creatina.

Resultados:

Dos 97 pacientes avaliados, 69 foram diagnosticados como adenomas e 28 foram diagnosticados como não adenomas. Todas as medições SII e razões de metabólitos derivados da espectroscopia foram significativas para a diferenciação entre adenomas e não adenomas, exceto as razões lipídio/creatina e colina/lipídio. Em 37,8% dos casos não foi possível realizar espectroscopia. Quando possível, a razão lactato/creatina apresentou maior precisão do que o SII.

Conclusão:

A determinação das razões SII e metabólitos aumentaram a acurácia do diagnóstico diferencial de adenomas adrenais.

Palavras-chave : Glândulas suprarrenais; Neoplasias das glândulas suprarrenais; Adenoma/diagnóstico por imagem; Ressonância magnética; Espectroscopia de prótons por ressonância magnética.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )