SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue2Progress of soybean charcoal rot under tillage and no-tillage systems in Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Fitopatologia Brasileira

Print version ISSN 0100-4158

Abstract

RESENDE, Mário Lúcio V.; SALGADO, Sônia M. L.  and  CHAVES, Zuleide M.. Espécies ativas de oxigênio na resposta de defesa de plantas a patógenos. Fitopatol. bras. [online]. 2003, vol.28, n.2, pp. 123-130. ISSN 0100-4158.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-41582003000200001.

A explosão oxidativa é uma resposta de defesa da planta após o reconhecimento do patógeno, conduzindo à reação de hipersensibilidade (HR). Esta resposta é devido à geração de espécies ativas de oxigênio (ROS ou EAO's), tais como H2O2, O2-, e OH- As espécies ativas de oxigênio possuem várias funções na resposta de defesa da planta. Peróxido de higrogênio (H2O2) pode ser diretamente tóxico ao patógeno e está envolvido com o fortalecimento da parede celular, uma vez que o H2O2 é necessário para a biossíntese de lignina. Peróxido de hidrogênioatua também como mensageiro secundário, sendo responsável pela ativação da hidrolase do ácido benzóico, enzima responsável pela conversão do ácido benzóico em ácido salicílico. A explosão oxidativa não está confinada somente à HR macroscópica, uma vez que explosões oxidativas secundárias poderão ocorrer nos tecidos distantes, causando micro-HR's e conduzindo à resistência sistêmica adquirida (SAR), a qual é mediada pelo ácido salicílico como um sinal. Portanto, a ocorrência de HR e SAR é dependente da cascata de sinalização derivada da explosão oxidativa, que por sua vez é um evento inicial na resposta da planta contra a invasão do patógeno.

Keywords : resistência; explosão oxidativa; HR; SAR.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese