SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue4Detection of Varicosavirus and Ophiovirus in lettuce associated with lettuce big-vein symptoms in BrazilFirst reporter of Mycosphaerella fijiensis on Heliconia psittacorum leaves author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Fitopatologia Brasileira

Print version ISSN 0100-4158On-line version ISSN 1678-4677

Abstract

COSTAMILAN, Leila M.. Variabilidade do agente causal de oídio de trigo, Blumeria graminis f. sp. tritici, na safra 2003. Fitopatol. bras. [online]. 2005, vol.30, n.4, pp.420-422. ISSN 0100-4158.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-41582005000400015.

Oídio de trigo (Triticum aestivum), causado pelo fungo biotrófico Blumeria graminis f. sp. tritici, é uma das principais doenças desta cultura, levando a danos entre 10% e 62% no rendimento de grãos, no Brasil. A doença pode ser controlada por meio de resistência genética, porém o patógeno apresenta especialização fisiológica, o que o torna capaz de infetar cultivares de trigo resistentes em anos anteriores. Este trabalho teve como objetivo avaliar a variabilidade de populações patogênicas de B. graminis f. sp. tritici coletadas no Brasil e a efetividade de genes de resistência de trigo a oídio, na safra 2003. Plantas de trigo da série diferencial para raças foram inoculadas com cada isolado monopustular. Foram identificadas 31 combinações de genes efetivos e inefetivos para resistência. Para as amostras da população de oídio estudada, o gene de resistência de trigo Pm4a+... permaneceu totalmente efetivo para todos os isolados, e o gene Pm6 foi altamente efetivo (abaixo de 10% de suscetibilidade), enquanto os genes Pm3a e Pm8 foram totalmente inefetivos (suscetíveis a todos os isolados). Os genes Pm1, 2, 4a, 1+? e 2+Mld foram medianamente efetivos para a maioria dos isolados (entre 10% e 49% de suscetibilidade), e Pm3c, D1 e D2 mostraram baixa efetividade (acima de 50% de suscetibilidade). A fórmula de virulência Pm1, 3c, 4a, 6, 1+?, 2+Mld, 4a+..., D2 (genes efetivos) / 2, 3a, 8, D1 (genes inefetivos) foi a mais freqüentemente encontrada, respondendo por 15% das ocorrências. O número mais freqüente de genes inefetivos foi sete, variando entre três e dez.

Keywords : Erisyphe graminis f. sp. tritici; Triticum aestivum; genética de polulações; especialização fisiológica.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License