SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue4First reporter of Mycosphaerella fijiensis on Heliconia psittacorum leavesCrotalaria paulinea, a new natural host of Cowpea severe mosaic virus author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Fitopatologia Brasileira

Print version ISSN 0100-4158

Abstract

REIS, Ailton; COSTA, Hélcio; BOITEUX, Leonardo S.  and  LOPES, Carlos A.. Primeiro registro da raça 3 de Fusarium oxysporum f. sp. lycopersici em tomateiro no Brasil. Fitopatol. bras. [online]. 2005, vol.30, n.4, pp. 426-428. ISSN 0100-4158.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-41582005000400017.

A murcha-de-fusário, causada por Fusarium oxysporum f. sp. lycopersici, é uma das doenças do tomateiro (Lycopersicon esculentum) de maior importância e mais amplamente distribuída no mundo. Até agora, foram identificadas três raças do patógeno, sendo as raças 1 e 2 disseminadas por todas as principais regiões produtoras do mundo. A raça 3 apresenta uma distribuição geográfica mais limitada e ainda não foi registrada no Brasil. Este trabalho teve os objetivos de determinar a raça de isolados de F. oxysporum f. sp. lycopersici, provenientes do Espírito Santo. Sete isolados de F. oxysporum foram obtidos de plantas murchas de tomate provenientes do município de Venda Nova do Imigrante-ES. Três isolados foram obtidas de plantas do híbrido 'Carmen' e quatro do híbrido 'Alambra', ambos considerados resistente às raças 1 e 2. O teste de virulência foi feito sobre um conjunto de cultivares diferenciadoras: 'Ponderosa' (suscetível a todas as raças), 'IPA-5' (resistente à raça 1), 'Floradade' (resistente às raças 1 e 2) e 'BHRS-2,3' (resistente à raça 3). Todos os isolados foram altamente virulentos às cultivares 'Ponderosa', 'IPA-5' e 'Floradade' e ainda infetaram algumas plantas da cultivar BHRS-2,3. O teste de virulência foi repetido com as mesmas cultivares, mas desta vez foi incluído o acesso 'LA 716' da espécie selvagem L. pennellii. Foram obtidos resultados idênticos com as cultivares, enquanto L. pennellii apresentou uma reação do tipo imunidade. Estes resultados indicam que os sete isolados avaliados pertencem à raça 3 de F. oxysporum f. sp. lycopersici. Esta doença pode se tornar importante no Brasil, devido ao fato que cultivares adaptadas e com resistência à raça 3 ainda não estão amplamente disponíveis.

Keywords : murcha-de-fusário; Lycopersicon; variabilidade patogênica.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English