SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número4Diversidade patogênica e molecular de Ralstonia solanacearum da região amazônica brasileiraCaracterização dos danos pós-colheita em citros procedentes de "packinghouse" índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Fitopatologia Brasileira

versão impressa ISSN 0100-4158

Resumo

CZERMAINSKI, Ana B.C.; BASSANEZI, Renato B.; LARANJEIRA, Francisco F.  e  AMORIM, Lilian. Dinâmica temporal da população do ácaro Brevipalpus phoenicis e da leprose dos citros sob condições naturais de epidemia. Fitopatol. bras. [online]. 2007, vol.32, n.4, pp. 295-303. ISSN 0100-4158.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-41582007000400003.

A densidade populacional do ácaro vetor de Citrus leprosis virus (CiLV), Brevipalpus phoenicis, num talhão, é o principal indicador para a tomada de decisão de medidas de controle da leprose dos citros. Há pouca informação sobre o crescimento da incidência de plantas com leprose dos citros isoladamente ou em conjunto com a população do ácaro. Este trabalho teve por objetivo caracterizar o progresso temporal da população de B. phoenicis e da incidência de leprose dos citros e a relação entre essas populações, sob condições naturais de epidemia. Dois talhões de laranja doce, cvs. Valência e Natal, foram monitorados de 2002 a 2004, em intervalos de 22 dias, em média. O crescimento da incidência da doença foi lento e estimativas da taxa de progresso da doença foram bastante baixas, variando de 0,0126 a 0,0448 para 'Valência' e de 0,0044 a 0,0525 para 'Natal'. A quantidade de inóculo inicial nos ramos cresceu significativamente de um ciclo para outro. Ao final do período, a incidência foi de 32% das plantas de 'Valência' e de 6,8% na cv. Natal. Apesar de não ser sistêmica, a leprose dos citros comporta-se como poliética com acúmulo de inóculo de ano para ano, especialmente nos ramos. A incidência não esteve correlacionada com a presença de ácaros na planta em levantamentos anteriores, mas apresentou correlação positiva significativa (P<0,001) com a própria incidência da doença registrada anteriormente. Isto indica que a presença de sintomas, e não somente a de ácaros, deve ser considerada em amostragens visando controle da doença.

Palavras-chave : Citrus leprosis virus; incidência; análise temporal.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português