SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue124A imagem e a cor no Tratado de Hume: elementos de ontologia políticaHume jusnaturalista author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Kriterion: Revista de Filosofia

Print version ISSN 0100-512X

Abstract

KLAUDAT, André. A obrigação da promessa em Hume. Kriterion [online]. 2011, vol.52, n.124, pp. 429-445. ISSN 0100-512X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-512X2011000200012.

Neste texto examino o sentido da obrigatoriedade da promessa em Hume, especialmente no contexto da sua classificação da virtude do cumprimento das promessas como virtudes artificiais. Nisso a posição de Hume se distingue das posições aristotélica e kantiana em Anscombe e Herman respectivamente. Mas, o problema principal - que não há um motivo natural para o cumprimento das promessas- divide intérpretes de Hume: Cohon e Baier. Defendo, seguindo Baier, que, embora não haja o referido motivo natural, há uma paixão ou motivos eficientes - por certo, não naturais como o motivo natural que nos conduz ao cuidado dos nossos filhos - que é o auto-interesse esclarecido: ele é auto-interesse e assim real e natural num sentido; e é esclarecido porque no reconhecimento de sua correspondência nos outros se engendra um vínculo com o benefício comum, no sentido de "de todos e de cada um".

Keywords : Hume; obrigação da promessa; virtudes artificiais; auto-interesse esclarecido.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese