SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 issue139DELEUZE AND FILM’S PHILOSOPHICAL VALUEAESTHETIC REGIME'S OCCUPATION OF REPRESENTATION author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Kriterion: Revista de Filosofia

Print version ISSN 0100-512XOn-line version ISSN 1981-5336

Abstract

VACCARI, Ulisses. O FIM DA ESTÉTICA E A NOVA CRÍTICA DE ARTE EM BENJAMIN. Kriterion [online]. 2018, vol.59, n.139, pp.287-308. ISSN 0100-512X.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-512x2017n13915uv.

O artigo pretende mostrar como o esforço de Benjamin no sentido de fundar uma nova crítica de arte remonta ao mesmo tempo ao primeiro Romantismo de Iena e à Filosofia de Hegel. Enquanto Hegel proclama o fim da estética e da obra de arte tradicional, os românticos, na figura de F. Schlegel e Novalis, apontam para a continuação de um discurso filosófico da arte que prescinde dos pressupostos tradicionais, utilizando-se de conceitos tais como crítica imanente e médium-de-reflexão. A partir disso, o artigo procura mostrar como essa dupla herança permanece ao longo das principais obras de Benjamin, com destaque para o “Drama trágico alemão” e a obra das “Passagens”, em cujo centro se situa o conceito de montagem. Por fim, recorrendo à influência marxista, o texto esboça algumas consequências políticas dessa crítica de arte que, desenvolvida desde a juventude, permanece nos textos de maturidade.

Keywords : Fim da arte; crítica de arte; imanência; reflexão; montagem.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )