SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 issue1In vitro pathogenic evaluation of Pythium middletonii Sparrow and Pythium dissotocum Drechsler in lettuceLatent infection by Didymella bryoniae in muskmelon author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Summa Phytopathologica

Print version ISSN 0100-5405

Abstract

ANGELOTTI, F.; TESSMANN, D.J.; SCAPIN, C.R.  and  VIDA, J.B.. Efeito da temperatura e da luz na germinação de urediniósporos de Phakopsora euvitis. Summa phytopathol. [online]. 2011, vol.37, n.1, pp. 59-61. ISSN 0100-5405.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-54052011000100009.

Os objetivos deste trabalho foram analisar o efeito da temperatura e da luz na germinação in vitro de urediniósporos de Phakopsoraeuvitis, assim como avaliar a viabilidade dos urediniósporos armazenados em diferentes temperaturas. Para a determinação do período de incubação foi avaliada a germinação dos urediniósporos em ágar-água 2%, após 2, 4, 6, 8, 10, 12 e 24 h. Para avaliar o efeito da temperatura e da luz na germinação, placas de Petri contendo suspensão de urediniósporos foram mantidas no escuro e sob luz contínua, nas temperaturas de 15, 20, 25 e 30 ºC, por um período de 24 h. No estudo de viabilidade, urediniósporos armazenados em tubos Eppendorf foram mantidos nas temperaturas de -20±2, 5±2, 23±2 e 33±2ºC, no escuro. Verificou-se o aumento contínuo na germinação dos esporos entre as avaliações com 6 a 24 horas de incubação. As temperaturas cardinais (mínima, ótima e máxima) para a germinação de urediniósporos in vitro estimadas foram de 11,6; 21,0 e 30,6 ºC; e 13,1; 21,0 e 30,0 ºC; respectivamente, nas condições de luz contínua e escuro. A viabilidade dos esporos foi reduzida drasticamente no período de 60 dias de armazenamento, verificando-se maior preservação na temperatura de 23±2 ºC.

Keywords : ferrugem da videira; urediniósporos; Vitis spp.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese