SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 issue2Epotential of rhizobacterias for the growth of seedlings of sibipiruna (Caesalpinia peltophoroides BENTH)In vitro germination of zygotic embryonic axes of imbuia (Ocotea porosa (NEES EX MARTIUS) liberato barroso author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Árvore

Print version ISSN 0100-6762

Abstract

MAZZINI, Renata Bachin; PIVETTA, Kathia Fernandes Lopes; ROMANI, Gustavo de Nobrega  and  BUENO, Breno Furlan. Propagação vegetativa de bauhinia x blakeana, uma arbórea ornamental estéril. Rev. Árvore [online]. 2013, vol.37, n.2, pp.219-229. ISSN 0100-6762.  https://doi.org/10.1590/S0100-67622013000200003.

Bauhinia x blakeana (B. purpurea x B. variegata) é um híbrido natural que tem sido cultivado em jardins, ruas e parques. Por ser estéril, é essencial que seja multiplicado vegetativamente. O objetivo deste trabalho foi verificar a viabilidade da estaquia e da enxertia na propagação desse híbrido. Estacas semilenhosas foram coletadas nas quatro estações do ano e tratadas com 0, 1.000, 2.000 e 3.000 mg L-1 de AIB. O delineamento foi inteiramente casualizado, e os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial duplo (quatro estações do ano x quatro concentrações de AIB) e cinco repetições com 10 estacas cada, por concentração de AIB e por estação do ano. Características vegetais e radiculares das estacas foram avaliadas após 90 dias. As médias dos dados foram comparadas pelo teste de Tukey e submetidas à análise de regressão polinomial. Para a enxertia, mudas de seis e 12 meses de B. variegata e B. variegata var. candida foram usadas como porta-enxerto, e os métodos de garfagem inglês simples e borbulhia "T" invertido foram testados. O delineamento foi inteiramente casualizado, e os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial triplo (duas espécies de porta-enxerto x dois tipos de enxertia x duas idades do porta-enxerto) e quatro repetições com cinco mudas cada, por tipo de enxertia, por idade do porta-enxerto e por espécie. Características vegetais do enxerto foram avaliadas após 90 dias e as médias dos dados, comparadas pelo teste de Tukey. O híbrido B. x blakeana pode ser multiplicado por estacas semilenhosas coletadas na primavera, sem o uso de AIB, ou no verão, com a aplicação de 3.000 mg L-1 de AIB. Os métodos testados de enxertia não foram eficientes.

Keywords : Estaquia; Ácido indolbutírico; Época de coleta.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License