SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 número5Avaliação do desempenho operacional de quatro tratores agrícolas em terreno inclinado lateralmenteAplicação do simulated annealing na simulação e otimização do processo de secagem do malte de Zea mays índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Engenharia Agrícola

versão impressa ISSN 0100-6916

Resumo

ALENCAR, Ernandes R. de et al. Cinética da decomposição do gás ozônio em amendoim. Eng. Agríc. [online]. 2011, vol.31, n.5, pp. 930-939. ISSN 0100-6916.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69162011000500011.

Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a cinética de decomposição do ozônio em grãos de amendoim. Para avaliar a cinética de decomposição do gás, utilizaram-se amostras de 1 kg de amendoim, com teores de água de 7,1 e 10,5% base úmida (b.u.), acondicionadas em recipientes de vidro com capacidade de 3 L. Os grãos de amendoim foram ozonizados na concentração de 450 µg L-1, nas temperaturas de 25 e 35 ºC, e vazões do gás de 1,0 e 3,0 L min-1. Determinou-se o tempo de saturação, quantificando-se a concentração residual do ozônio após a passagem do gás pela massa de grãos, até que a mesma se mantivesse constante. A cinética de decomposição foi avaliada depois da saturação da massa de grãos com o gás. Nessa etapa, obteve-se a concentração residual do ozônio, depois de períodos de repouso, durante os quais o gás reagia no meio poroso, e dessa forma, era decomposto. Um modelo cinético de primeira ordem foi ajustado aos dados da concentração residual em função do tempo, após linearização. A partir dos valores da constante da taxa de decomposição, definida como a inclinação da reta referente ao modelo cinético de primeira ordem linearizado, foi possível obter a meia-vida do ozônio em grãos de amendoim. Para os grãos de amendoim com teor de água de 7,1% (b.u.), nas temperaturas de 25 e 35 °C, e vazões de 1,0 e 3,0 L min-1, os valores obtidos de tempo de saturação do gás permaneceram na faixa entre 173 e 192 min, com concentração de saturação de aproximadamente 260 µg. L-1. Para os grãos com teor de água de 10,5% b.u., obteve-se maior concentração residual do gás na temperatura de 25 ºC, sendo igual a 190 µg. L-1. No que se refere ao tempo de meia-vida do ozônio, o maior valor obtido foi equivalente a 7,7 min para os grãos ozonizados na temperatura de 25 ºC, enquanto para aqueles com 10,5% de teor de água, na temperatura de 35 ºC, foi de 3,2 min. Concluiu-se que, no processo de decomposição do ozônio em grãos de amendoim, o fator determinante é a temperatura. Observou-se que o aumento de 10 ºC na temperatura dos grãos implica decréscimo de, pelo menos, 43% no tempo de meia-vida do gás.

Palavras-chave : concentração de saturação; tempo de saturação; tempo de meia-vida.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês