SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 número1Reconstrução de trânsito intestinal após confecção de colostomia à HartmannEquipamento brasileiro de detecção gama intra-operatória para biópsia de linfonodo sentinela índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões

versão impressa ISSN 0100-6991

Resumo

COELHO, Júlio Cezar Uili et al. Colecistectomia laparoscópica em transplantados. Rev. Col. Bras. Cir. [online]. 2010, vol.37, n.1, pp. 023-026. ISSN 0100-6991.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912010000100006.

OBJETIVO: Apresentar a nossa experiência com a colecistectomia laparoscópica no tratamento da colelitíase em transplantados. MÉTODOS: Dados demográficos, medicamentos utilizados e dados operatórios e pós-operatórios de todos transplantados que foram submetidos à colecistectomia laparoscópica por colelitíase no nosso hospital foram obtidos. Resultados: Quinze pacientes (13 transplantes renais e dois transplantes de medula óssea) foram submetidos à colecistectomia laparoscópica. Todos pacientes foram internados no hospital no dia da operação. O esquema imunossupressor não foi modificado durante a hospitalização. A apresentação clínica da colelitíase foi cólica biliar (n=12), colecistite aguda (n=2) e icterícia (n=1). A colecistectomia transcorreu sem intercorrências em todos pacientes. Complicações pós-operatórias foram náusea e vômitos em dois pacientes, intubação traqueal prolongada em um, infecção de ferida operatória em um e hematoma superficial grande em um paciente. CONCLUSÃO: Colecistectomia laparoscópica é associada à baixa morbidade e mortalidade e bom prognóstico pós-operatório em pacientes transplantados com colecistite não complicada.

Palavras-chave : Colecistectomia laparoscópica; Colelitíase; Transplante de medula óssea; Transplante de rim; Transplante.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português