SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 issue7Maternal and Sociodemographic Factors Influence the Consumption of Ultraprocessed and Minimally-Processed Foods in Pregnant Women author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia

Print version ISSN 0100-7203On-line version ISSN 1806-9339

Abstract

ALCANTARA, Luciana Leite de Mattos; ALMEIDA, Núbia Karla de Oliveira  and  ALMEIDA, Renan Moritz Varnier Rodrigues de. Padrão de nascidos vivos no estado do Rio de Janeiro, Brasil, segundo os grupos Robson e a classificação do índice Kotelchuck - 2015/2016. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. [online]. 2020, vol.42, n.7, pp.373-379.  Epub Aug 26, 2020. ISSN 1806-9339.  http://dx.doi.org/10.1055/s-0040-1712122.

Objetivo

Investigar os padrões dos partos hospitalares no estado do Rio de Janeiro (RJ), Brasil, entre 2015 e 2016, considerando a classificação de características obstétricas de Robson e a dos cuidados pré-natais proposta por Kotelchuck.

Métodos

Dados sistema de informações sobre nascidos vivos (SINASC) do departamento de informática do sistema único de saúde (DATASUS) foram utilizados para agrupar gestantes relativamente à classificação de Robson. Foi efetuada uma análise descritiva para cada grupo de Robson, considerando-se as variáveis idade materna, estado civil, escolaridade, paridade, o índice de Kotelchuck de adequação do pré-natal e a idade gestacional. Também foi realizado o cálculo de razão de chances (RC) para parto cesáreo, considerando-se um modelo logístico.

Resultados

Dos 456.089 nascimentos vivos ocorridos no RJ de 2015 a 2016, foram incluídos 391.961 registros, sendo 60,3% cesáreas, com maioria de gestantes (58,6%) nos grupos 5, 2 ou 3. O percentual de cesáreas nos grupos 1, 2, 3, 4, 5 e 8 foi bem superior ao sugerido pela literatura. Para gestantes de um mesmo grupo (controladas as demais características), a chance de cesárea se eleva quando aumenta a idade materna (RC = 3,33 para 41-45 anos), existe a presença de um companheiro (RC = 1,81), o nível de escolaridade é maior (RC = 3,11 para ≥ 12 anos) e o pré-natal é mais cuidadoso (RC= 3,19 para “adequado plus”).

Conclusão

Há indícios que no RJ, de 2015 a 2016, muitos partos cesáreos foram realizados sob influência de fatores extraclínicos.

Keywords : parto vaginal; cesárea; índice de kotelchuck; classificação de robson.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )