SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 issue2CAEV nucleoproteic antigen production and comparison with Maedi-Visna antigen in the immunodiffusion testEradication of Herpesvirus Bovine-1 (BHV-1) from a dairy cattle herd with a semi-intensive management author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Pesquisa Veterinária Brasileira

Print version ISSN 0100-736X

Abstract

TOKARNIA, Carlos Hubinger et al. Intoxicação experimental em coelhos por Mascagnia sp (Malpighiaceae) procedente do Estado de Santa Catarina. Pesq. Vet. Bras. [online]. 1998, vol.18, n.2, pp. 61-64. ISSN 0100-736X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-736X1998000200004.

As folhas novas ou a brotação e as folhas maduras de Mascagnia sp, arbusto escandente da família Malpighiaceae, procedente de Santa Catarina, planta comprovadamente tóxica a bovinos, foram administradas sob forma de pó suspenso em água por sonda gástrica, até poucas semanas após a sua colheita, a 45 coelhos adultos. A planta colhida em três municípios do Estado de Santa Catarina, dessecada na sombra a temperatura ambiente, demonstrou possuir toxidez também para essa espécie animal. Porém a sua toxidez para coelhos foi muito variável. Os experimentos realizados não permitem concluir que a procedência da planta, o seu estado de evolução ou a época do ano da colheita, sejam fatores que influenciam a sua toxidez. Já em relação ao quadro clínico, os achados de necropsia e histopatológicos, a planta teve um comportamento muito constante. Os coelhos mostraram os primeiros sintomas de intoxicação entre 3 horas e 24h49min após o começo da administração da planta. A evolução do quadro clínico foi de 1 a 4 minutos. Os sintomas consistiram sempre em que o animal subitamente começava a fazer movimentos desordenados, geralmente violentos; finalmente ficava caído, tinha respiração dispnéica com movimentos respiratórios cada vez mais espaçados, dava alguns gritos e logo morria. Os achados de necropsia se resumiram em congestão hepática e esplenomegalia; o fígado ao corte tinha a lobulação nítida, às vezes com o centro dos lóbulos mais claro. Os exames histopatológicos revelaram alterações regressivas e circulatórias no fígado, rim e baço. A planta moída guardada em vidros hermeticamente fechados com tampa plástica e à temperatura ambiente, submetida a experimentos em outros 22 coelhos 1 ano ou mais após sua colheita, demonstrou ter perdido variavelmente em toxidez.

Keywords : Plantas tóxicas; intoxicação experimental; Mascagnia sp; Malpighiaceae; coelho.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese