SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue6Congenital bone defects in Guiana dolphin, Sotalia guianensis (Mammalia, Cetacea, Delphinidae) in the northcentral coast of Rio de Janeiro State, BrazilDiseases of agouti (Dasyprocta aguti) raised in captivity diagnosed by pathological examination author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Pesquisa Veterinária Brasileira

Print version ISSN 0100-736X

Abstract

XAVIER, Diego Batista et al. Ausência de enterococos resistentes à vancomicina na microbiota intestinal de primatas não-humanos. Pesq. Vet. Bras. [online]. 2010, vol.30, n.6, pp. 491-496. ISSN 0100-736X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-736X2010000600004.

Os reservatórios animais de Enterococos Resistentes à Vancomicina (VRE) têm um importante papel na epidemiologia destas bactérias e dos respectivos genes de resistência. O presente estudo examinou a presença de VRE em amostras fecais obtidas de primatas não-humanos. Foram analisados os perfis de resistência, as características de virulência e a variabilidade genética dos isolados. A amostragem incluiu macacos Prego (Cebus apella, n=28) e Sagüis do cerrado (Callithrix penicillata, n=37) alojados no Centro de Primatologia da Universidade de Brasília, Brasil. A maioria dos indivíduos amostrados foram macacos apreendidos na região Centro-Oeste e Sudeste do Brasil (n=48). Assim, foram coletados swabs retais e realizado o isolamento seletivo, seguido da Reação de Polimerização em Cadeia (PCR) multiplex para identificar espécies e genes de resistência. Não foram isolados enterococos contendo os genes vanA ou vanB. A porcentagem de enterococos variou de 1,5% para E. casseliflavus e E. gallinarum VanC até 12,3% (n=8) para Enterococcus faecalis. A totalidade dos isolados da espécie E. faecalis demonstrou sensibilidade aos antimicrobianos vancomicina, teicoplanina, ampicilina, gentamicina e estreptomicina. Os genes de virulência ace e esp foram prevalentes (100%, 87.5%). A análise em multilocus de repetições em tandem de número variável (MLVA) revelou diversidade no número de repetições entre os isolados de E. faecalis, que foi mais alta para espC, efa5 e efa6. Foram identificados seis diferentes genotipos de MVLA, divergindo daqueles já descritos em humanos. Os genotipos foram ainda agrupados em dois genogrupos, demonstrando especificidade de hospedeiro para as espécies Cebus apella ou Callithrix penicillata. Concluindo, não foram isoladas linhagens de enterococos contendo os genes vanA ou vanB colonizando as espécies de primatas analisadas. O presente estudo demonstrou que os isolados de E. faecalis obtidos de primatas não-humanos apresentam determinantes de virulência e possuem a habilidade de disseminar linhagens entre diferentes indivíduos.

Keywords : Enterococcus; resistência à vancomicina; MLVA; macacos.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English