SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número1Ocorrência do raro gênero Microcrocis P. Richter (Chroococcales, Cyanobacteria) em uma lagoa costeira do Sul do Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Brazilian Journal of Botany

versão On-line ISSN 1806-9959

Resumo

FERREIRA, Luciana B.; BARUFI, José B.  e  PLASTINO, Estela M.. Crescimento de linhagens de coloração verde e vermelha da agarófita tropical Gracilaria cornea J. Agardh (Gracilariales, Rhodophyta) em laboratório. Rev. bras. Bot. [online]. 2006, vol.29, n.1, pp. 187-192. ISSN 1806-9959.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-84042006000100017.

Gracilaria cornea J. Agardh é uma importante agarófita que ocorre no Oeste do Oceano Atlântico. Indivíduos de coloração verde de G. cornea foram encontrados em uma população natural, próximos a indivíduos de coloração vermelha, mais comuns. Devido à importância de linhagens cromáticas em estudos de genética e variabilidade intraespecífica, o objetivo deste trabalho foi caracterizar as linhagens verde e vermelha avaliando diferentes condições de nutrintes e luz. Gametófitos verdes e vermelhos foram cultivados em fotoperíodo de 14 horas (14L:10E), com períodos alternados de aeração de 30 minutos. Duas soluções de água do mar enriquecida foram testadas: von Stosch (VSS) nas concentrações reduzidas a 12,5% e 25%; e Provasoli (PES) nas concentrações reduzidas de 25% e 50%, e 100%. A irradiância foi de 45 mmol fótons m-2 s-1. Num outro experimento, utilizando-se PES 100%, dois tipos de fontes luminosas (lâmpadas fluorescentes Osram 40 W luz do dia e Sylvania Designer 3.500) foram testadas em duas irradiâncias: 90 e 180 mmol fótons m-2 s-1. As taxas de crescimento (TC) foram avaliadas durante cinco semanas. Todas as condições testadas não promoveram a diferenciação de estruturas reprodutivas e poucas ramificações foram formadas nos gametófitos vermelhos e verdes. As linhagens selvagem e verde apresentaram TC semelhantes, que foram maiores em VSS 12,5% (8,4% dia-1) do que em VSS 25% (7,1% dia-1), sugerindo uma adaptação da espécie a baixas concentrações de nutrientes. As taxas de crescimento foram maiores em 180 (9,0% dia-1) do que em 90 mmol fótons m-2 s-1 (6,3% dia-1). Sugere-se que G. cornea seja cultivada em altas irradiâncias e baixas concentrações de nutrientes. Esses resultados devem ser considerados em futuros estudos genéticos e fisiológicos da espécie.

Palavras-chave : agarófita; crescimento; Gracilaria cornea; linhagens cromáticas; luz.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês