SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número3Diallel cross analysis for young plants of brachytic maize (Zea mays L.) varietiesTwo point deterministic model for acquisition of in vitro pollen grain androgenetic capacity based on wheat studies índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Brazilian Journal of Genetics

versión impresa ISSN 0100-8455

Resumen

TORRES, Giovana A.; PARENTONI, Sidney N.; LOPES, Maurício A.  y  PAIVA, Edilson. A search for RFLP markers to identify genes for aluminum tolerance in maize. Braz. J. Genet. [online]. 1997, vol.20, n.3 ISSN 0100-8455.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-84551997000300017.

O objetivo deste estudo foi identificar RFLPs (restriction fragment length polymorphisms) ligados a QTLs (locos de caracteres quantitativos) que controlam a tolerância ao Al tóxico em milho utilizando a estratégia de "bulked segregant analysis" (BSA). O material genético utilizado consistiu de uma população F2 proveniente do cruzamento entre a linhagem L53, suscetível ao Al, e a linhagem L1327, tolerante ao Al. Ambas foram desenvolvidas pelo programa de melhoramento do Centro Nacional de Pesquisa em Milho e Sorgo - CNPMS/EMBRAPA. Avaliaram-se 1554 indivíduos F2 em solução nutritiva contendo Al tóxico utilizando o índice comprimento relativo da raiz seminal (RSRL) como medidor fenotípico de tolerância. A distribuição de freqüência dos valores de RSRL foi contínua, unimodal com tendência para suscetibilidade. Plântulas F2 que apresentaram os maiores e menores valores de RSRL foram transplantadas para o campo e autopolinizadas para obtenção de famílias F3. Selecionaram-se 30 famílias F3 (15 suscetíveis e 15 tolerantes), as quais foram avaliadas em solução nutritiva utilizando delineamento em blocos incompletos, com seis testemunhas (L53, L1327, F1, CMS36, BR201 e L726) e uma testemunha comum (L19, suscetível ao Al). Obtiveram-se, com base na média e variância genética apresentadas pelas famílias F3, cinco famílias tolerantes e seis suscetíveis para construção dos "bulks". Para análise de RFLP dos "bulks" utilizaram-se 54 sondas previamente caracterizadas quanto à habilidade em detectar polimorfismo entre as linhagens parentais quando em combinação com as enzimas de restrição EcoRI, BamHI e HindIII. Foram identificadas três sondas localizadas no cromossomo 8, as quais, em combinação com a enzima de restrição EcoRI, foram capazes de distinguir os "bulks" por diferença de intensidade de bandas. A utilização destas combinações sonda e enzima de restrição nos constituintes dos "bulks", individualmente, mostrou a existência de heterozigotos, para as sondas em questão. Os resultados indicam que existe no cromossomo 8 do milho uma região envolvida no controle da tolerância ao Al tóxico

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés