SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 issue4Reproductive isolation between Anastrepha bistrigata and A. striata (Diptera, Tephritidae)Genetic variability of behaviorin Melipona quadrifasciata(Hymenoptera: Meliponinae) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Brazilian Journal of Genetics

Print version ISSN 0100-8455

Abstract

SELIVON, Denise; MORGANTE, João S.  and  PERONDINI, André Luiz P.. Egg size, yolk mass extrusion and hatching behavior in two cryptic speciesof Anastrepha fraterculus (Wiedemann) (Diptera, Tephritidae). Braz. J. Genet. [online]. 1997, vol.20, n.4 ISSN 0100-8455.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-84551997000400006.

As duas espécies crípticas de Anastrepha fraterculus, tipo I e tipo II, diferiram quanto ao tamanho dos ovos, os quais são menores no tipo I. Em ambos pode ocorrer a extrusão de vitelo pelas extremidades dos embriões, observando-se quatro classes: 1) embriões com massas extrudadas por ambos os pólos; 2) extrusão apenas pelo pólo anterior; 3) extrusão pelo pólo posterior e 4) embriões que não eliminam as massas. As freqüências dessas classes são similares entre populações de um mesmo tipo, mas diferem entre as duas formas crípticas. Diferentes fêmeas podem produzir diferentes classes de embriões, mas para cada fêmea o padrão é constante e não varia durante um longo período do ciclo de oviposição. O diâmetro das massas extrudadas é variável, mas de igual magnitude para os dois tipos. Fêmeas distintas podem produzir massas de diferentes diâmetros que não se alteram em suas progênies. Os resultados sugerem que componentes genéticos estão envolvidos no controle da extrusão de vitelo pelos embriões de Anastrepha. As larvas, de ambos os tipos, apresentam comportamento não usual pouco antes da eclosão: ingerem a massa de vitelo do pólo anterior, giram dentro do ovo ficando com a cabeça no pólo posterior, sugam a massa de vitelo do pólo posterior e eclodem perto desse pólo

        · abstract in English     · text in English