SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 issue4Genetic variability of behaviorin Melipona quadrifasciata(Hymenoptera: Meliponinae)Molecular cloning of exons II and III of the a-globin major gene from Odontophrynus americanus 2n and 4n (Amphibia, Anura) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Genetics

Print version ISSN 0100-8455On-line version ISSN 1678-4502

Abstract

KERR, Warwick Estevam. Sex determination in honey bees (Apinae and Meliponinae) and its consequences. Braz. J. Genet. [online]. 1997, vol.20, n.4, pp.-. ISSN 0100-8455.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-84551997000400008.

São relatados os primeiros experimentos sobre determinação do sexo em abelhas, iniciando com os de Dzierzon, Meves, Nachtsheim, Paulcke, Petrunkewitsch e Manning. Whiting descobriu em Bracon alelos múltiplos xo que são considerados a pedra Rosetta da determinação do sexo em himenópteros. O próprio Whiting constatou que algumas espécies de micro-himenópteros não têm alelos múltiplos xo1 a xon. Logo, nos himenópteros há aparentemente dois tipos de determinação do sexo superpostos a haplodiploidia. Nos panmíticos há uma série de genes xo1, xo2 ... xon para os quais os hemizigotos xo1 a xon e homozigotos, xo1xo1 até xonxon são machos e os heterozigotos xo1xo2, até xon-1xon são fêmeas. Nos endogâmicos não há essa série de alelos múltiplos, pois a mutação de xo para xn é rapidamente eliminada, a não ser quando o heterozigoto for muito mais viável. Além da hipótese básica de Whiting, discutem-se outras 4 hipóteses que tentam explicar a genética da determinação do sexo nos Hymenoptera. A nova hipótese, da impressão genômica, de Beukeboom, é eliminada pelos seguintes fatos: a) espermatozóides que se desenvolvem em ovos dão origem a tecidos masculinos; b) partenogênese telítoca produz fêmeas e c) as larvas em último estágio, tratadas adequadamente com hormônio juvenil, desenvolvem-se em rainhas. A hipótese que explica todos os casos conhecidos ainda é a do balanço gênico, de Cunha e Kerr, com pequenas modificações. A determinação do sexo nas abelhas sociais implicou a gradual evolução de dois sistemas de determinação das castas. Um em que as rainhas e as operárias se parecem e o macho é diferente (Apíneos), e outro em que as operárias e os machos se parecem e são diferentes da rainha. Neste segundo sistema (Meliponíneos), os machos passam a, gradualmente, assumir atividades que em Apis são claramente de fêmeas. São apresentadas 10 dessas atividades.

        · abstract in English     · text in English

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License