SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número2Avaliação da qualidade da alface durante o armazenamento em baixa umidade relativa usando o Índice Global da EstabilidadeDensidade e parâmetros reológicos de leite de cabra índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Food Science and Technology

versão impressa ISSN 0101-2061

Resumo

SIMBALISTA, Renée Leão; FROTA, Karoline de Macêdo Gonçalves; SOARES, Rosana Aparecida Manólio  e  AREAS, José Alfredo Gomes. Efeito do armazenamento e do processamento da linhaça brasileira em seus teores de lipídios e lignanas. Ciênc. Tecnol. Aliment. [online]. 2012, vol.32, n.2, pp.374-380.  Epub 12-Abr-2012. ISSN 0101-2061.  https://doi.org/10.1590/S0101-20612012005000037.

A semente de linhaça vem sendo estudada por pesquisadores em todo o mundo; sua incorporação em produtos habitualmente consumidos pela população vem sendo estimulada devido a seu destacado valor nutricional. Objetivos: avaliar a composição da linhaça brasileira, analisar a estabilidade dos lipídios presentes na farinha de linhaça integral (WFF) ou na farinha parcialmente desengordurada (DFF), estocadas sob diferentes temperaturas, e investigar o efeito do processamento em pão contendo linhaça. A farinha de linhaça integral apresentou (g.100 g-1): 25,7 de fibra insolúvel, 10,7 de fibra solúvel, 38,9 de lipídios e 2,65 de lignana. A farinha parcialmente desengordurada apresentou 65% menos lipídios, 36% mais fibra e 56% mais lignana, comparado a farinha de linhaça integral. O perfil de ácidos graxos foi mantido em DFF. A composição da farinha parcialmente desengordurada permaneceu estável durante o armazenamento sob temperaturas ambiente, refrigeração e congelamento. O perfil de ácidos graxos foi similar no pão contando DFF após o crescimento da massa, o cozimento e a estocagem às temperaturas ambiente ou de refrigeração. Após a cocção, 89% do conteúdo de lignana foi mantido no pão. Os resultados demonstram que a linhaça brasileira parcialmente desengordurada, subproduto da extração lipídica, apresenta estabilidade a moagem e estocagem sob diferentes temperaturas. Assim, a farinha parcialmente desengordurada pode ser incorporada a pães para incrementar seu valor nutricional e funcional.

Palavras-chave : linhaça; lignana; perfil de ácidos graxos; estabilidade ao processamento e armazenamento.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons