SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 ANCA associated vasculitis: experience of a tertiary care referral centerAn atypical presentation of a severe and massive atheroembolic disease author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Nephrology

Print version ISSN 0101-2800On-line version ISSN 2175-8239

Abstract

SAOUR, Basil M. et al. TpTe e TpTe/QT: novos marcadores para prever morte súbita cardíaca na DRT?. J. Bras. Nefrol. [online]. In press. , pp.-.  Epub Aug 16, 2018. ISSN 0101-2800.  http://dx.doi.org/10.1590/2175-8239-jbn-2017-0021.

Introdução:

Marcadores confiáveis para predizer morte súbita cardíaca (MSC) em pacientes com doença renal terminal (DRT) permanecem elusivos, mas os parâmetros do ecocardiograma (ECG) podem ajudar a estratificar os pacientes. Devido a seus papéis como marcadores para a dispersão miocárdica, especialmente em populações de alto risco, como aquelas com síndrome de Brugada, nós hipotetizamos que o intervalo pico da onda T ao final da onda T (TpTe) e TpTe/QT são fatores de risco independentes para MSC na DRT.

Métodos:

Revisão retrospectiva do prontuário foi realizada em uma coorte de pacientes com DRT iniciando a hemodiálise. Os pacientes eram veteranos de guerra americanos que utilizavam os centros médicos do Veterans Affairs para atendimento médico. A idade média de todos os participantes foi de 66 anos e a maioria era do sexo masculino, consistente com uma população veterana dos EUA. ECGs que foram realizados dentro de 18 meses após o início da diálise, e foram avaliados manualmente para TpTe e TpTe/QT. Os desfechos primários foram MSC e mortalidade por todas as causas, e estes foram avaliados até 5 anos após o início da diálise.

Resultados:

Após o critério de exclusão, foram identificados 205 pacientes, dos quais 94 com TpTe prolongado e 61 com intervalo TpTe/QT prolongado (não mutuamente exclusivo). A mortalidade geral foi de 70,2% em 5 anos e a MSC foi de 15,2%. Nenhuma diferença significativa foi observada nos desfechos primários ao se avaliar o TpTe (MSC: prolongado 16,0% versus normal 14,4%, p = 0,73; mortalidade por todas as causas: prolongado 55,3% vs. normal 47,7%, p = 0,43). Da mesma forma, nenhuma diferença significativa foi encontrada para TpTe/QT (MSC: prolongado 15,4% vs. normal 15,0%, p = 0,51; mortalidade por todas as causas: prolongado 80,7% vs. normal 66,7%, p = 0,39).

Conclusões:

Em pacientes com insuficiência renal terminal em hemodiálise, TpTe ou TpTe/QT prolongados não foram associados a um aumento significativo da morte súbita ou mortalidade por todas as causas.

Keywords : Morte Súbita; Falência Renal Crônica; TpTe.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )