SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 número1Crescimento e distribuição: revisão do modelo clássicoTaxa real de câmbio e mudança estrutural num modelo Kaldoriano de crescimento com restrição de balanço de pagamentos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Political Economy

versão impressa ISSN 0101-3157versão On-line ISSN 1809-4538

Resumo

APRIGIO, PEDRO LUIZ  e  CARVALHO, ANDRÉ RONCAGLIA DE. Estabilidade monetária e CEPAL: A heterogeneidade do pensamento estruturalista latino-americano. Brazil. J. Polit. Econ. [online]. 2018, vol.38, n.1, pp.28-47. ISSN 0101-3157.  http://dx.doi.org/10.1590/0101-31572018v38n01a02.

O artigo verifica a hipótese de homogeneidade estrita do pensamento estruturalista latino-americano em matéria de estabilidade monetária em seus anos iniciais. Em meados da década de 1950, o crescente e contínuo fenômeno inflacionário na região era explicado pela CEPAL como resultante da presença de estrangulamentos nas estruturas reais da economia. Entretanto, o canal de transmissão ao nível de preços é explicado pelos autores de maneiras diversas, gerando-se, por conseguinte, diferentes propostas de estabilização. O artigo sublinha a flexibilidade metodológica e o grau de fragmentação teórica da abordagem cepalina, bem como a controvérsia sobre a inflação constituir parte do processo de desenvolvimento. A análise destes elementos revela uma tensão entre os aspectos keynesianos anglo-saxônicos na abordagem de Prebisch e a original teoria lati­no-americana proposta por Noyola e Furtado. Avalia-se em que medida este descompasso impediu a constituição de um corpo teórico diferenciado em matéria de estabilização monetária.

Palavras-chave : Estruturalismo latino-americano; inflação estrutural; estabilização monetária; CEPAL, heterogeneidade metodológica.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )