SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número1As muitas Faces do Realismo Interno de Hilary Putnam: Um TributoO Ensaio em Lukács: Estilo Tardio e a Forma da Juventude índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Trans/Form/Ação

versão impressa ISSN 0101-3173versão On-line ISSN 1980-539X

Resumo

SILVA, Helio Lopes da. A Liberdade de Escolha em Bergson e Schopenhauer. Trans/Form/Ação [online]. 2017, vol.40, n.1, pp.25-50. ISSN 1980-539X.  https://doi.org/10.1590/s0101-31732017000100003.

Eu mostro neste artigo que Schopenhauer e Bergson, mesmo abordando o problema da ação livre a partir de pontos de vista filosóficos opostos, concordam em caracterizar as ações humanas de um modo que não é nem determinista, nem compatível com a tese do liberum arbitrium. Schopenhauer, embora equivocadamente tente demonstrar a necessidade de tais ações, é obrigado a reconhecê-las como grundlos e imprevisíveis, enquanto Bergson, embora pretenda mostrá-las como sendo livres, ao final admite que elas não são objeto de uma escolha através da razão. Essa coincidência inesperada entre ambos os filósofos, a respeito do problema da liberdade da ação humana, será explorada neste texto.

Palavras-chave : Schopenhauer; Bergson; Liberdade; Determinismo; Escolha; Previsão.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )