SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 issue51Germano F.E. Melchert, doctor and political: a German immigrant's public trajectory in Brazil of the First RepublicThe Reforma Pedreira in the Academy of fine arts (1854-57) and the constitution of the artist's social space author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Cadernos CEDES

Print version ISSN 0101-3262

Abstract

AUGUSTI, Valéria. O caráter pedagógico-moral do romance moderno. Cad. CEDES [online]. 2000, vol.20, n.51, pp. 89-102. ISSN 0101-3262.  http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622000000200007.

O romance moderno surge no século XVIII e, com ele, uma polêmica em torno dos efeitos que sua leitura poderia provocar. Desacostumados com a representação literária de situações e personagens comuns, os leitores acreditavam na veracidade de tais narrativas. Tal crença, que possibilitava uma fácil identificação dos leitores com os personagens, causava ao mesmo tempo temor e admiração. Os moralistas condenavam o gênero, pois acreditavam que ele apresentava modelos de conduta viciosos, capazes de desestruturar a ordem vigente. Entretanto, alguns leitores ilustres afirmavam que apenas o romance seria capaz de fazer com que o leitor aceitasse os sacrifícios que a leitura requeria. Havia, portanto, um consenso sobre a capacidade de o romance servir de modelo de conduta. Essa concepção, ainda no século XIX, quando surgiram as primeiras manifestações nacionais do gênero, está presente no discurso da crítica literária brasileira.

Keywords : Romance moderno; literatura prescritiva; guia de conduta; Brasil; Joaquim Manoel de Macedo.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese