SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 número4Versão portuguesa da escala de dificuldades de regulação emocional e sua relação com sintomas psicopatológicosDeclaração de consenso da seção de psiquiatria geriátrica da Associação Mundial de Psiquiatria sobre ética e capacidade em pessoas idosas com doença mental índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo)

versão impressa ISSN 0101-6083

Resumo

SILVA, Cristiane Schumann et al. Relação entre prática religiosa, uso de álcool e transtornos psiquiátricos em gestantes. Rev. psiquiatr. clín. [online]. 2010, vol.37, n.4, pp.152-156. ISSN 0101-6083.  https://doi.org/10.1590/S0101-60832010000400002.

CONTEXTO: A saúde mental de gestantes é bastante discutida na literatura científica. Nesse período, a mulher passa por alterações físicas, hormonais, psicológicas e sociais e torna-se mais suscetível a problemas psíquicos. Há carência de estudos abordando a relação entre saúde mental e religiosidade nessa população. OBJETIVO: Investigar a relação entre prática religiosa, prevalência de diagnósticos psiquiátricos e consumo alcoólico em gestantes de Juiz de Fora. MATERIAL E MÉTODOS: Estudo transversal envolvendo 260 gestantes acompanhadas em Centros de Atendimentos a gestantes de Juiz de Fora, utilizando-se um questionário sociodemográfico (incluindo filiação e prática religiosa), o Mini International Neuropsychiatric Interview e o Alcohol Use Disorders Identification Test (AUDIT). RESULTADOS: A maioria das gestantes era praticante de religião (60,8%). As gestantes praticantes apresentavam menor frequência (p < 0,05) de Episódio Depressivo Maior com características Melancólicas, Episódio Hipomaníaco, Transtorno de Pânico com Agorafobia Atual, Fobia Social Atual e Transtorno do Estresse Pós-traumático. Em relação ao diagnóstico de Abuso de uma ou mais substâncias psicoativas, houve uma tendência à menor prevalência nos grupos de gestantes religiosas praticantes (p = 0,057). CONCLUSÕES: Observou-se que as praticantes tendem a apresentar menores taxas de transtornos de humor e transtornos ansiosos que as gestantes não praticantes de religiosidade.

Palavras-chave : Gravidez; religião; álcool; Sistema Único de Saúde.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons