SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número4Pacientes com subtipo respiratório do transtorno de pânico são mais vulneráveis ao uso de tabaco, álcool ou outras substâncias? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo)

versão impressa ISSN 0101-6083

Resumo

SOUTO, Teresa et al. Reconhecimento emocional de faces na esquizofrenia: resultados preliminares do programa de realidade virtual para o reconhecimento emocional de faces. Rev. psiquiatr. clín. [online]. 2013, vol.40, n.4, pp.129-134. ISSN 0101-6083.  http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832013000400001.

CONTEXTO: Pessoas diagnosticadas com esquizofrenia apresentam um défice significativo na cognição social com implicações negativas relativamente ao funcionamento interpessoal e social. A realidade virtual apresenta grandes potencialidades para a avaliação e o treino de competências em pessoas com doença mental. OBJETIVOS: Apresentar os resultados preliminares de um programa construído para avaliação do reconhecimento emocional de faces por pessoas com esquizofrenia, utilizando avatares 3D e realidade virtual. MÉTODOS: Apresentação de avatares 3D que reproduzem expressões emocionais, construídas por meio do FaceGen® e integradas num ambiente virtual tridimensional. Apresentou-se cada avatar a 12 doentes com esquizofrenia e a 12 pessoas sem patologia psiquiátrica, avaliando as respostas de reconhecimento e a atividade eletroencefalográfica frontal. RESULTADOS: Os resultados demonstraram que as expressões de alegria e raiva foram as mais bem reconhecidas pelos dois grupos, enquanto de medo e nojo foram as de maior dificuldade. Verificaram-se alterações na atividade alfa frontal para os estímulos raiva e nojo na amostra de doentes com esquizofrenia. CONCLUSÃO: Apesar de algumas expressões emocionais poderem ser melhoradas, o programa desenvolvido pode constituir uma mais-valia para o paciente e para o terapeuta, proporcionando a execução da tarefa em condições não ansiogênicas e aproximadas à experiência real.

Palavras-chave : Realidade virtual; reconhecimento emocional facial em avatar 3D; esquizofrenia; qEEG; atividade alfa frontal.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons