SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número4Pacientes com subtipo respiratório do transtorno de pânico são mais vulneráveis ao uso de tabaco, álcool ou outras substâncias?Frost Multidimensional Perfectionism Scale: versão portuguesa índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo)

versão impressa ISSN 0101-6083

Resumo

COUTINHO, Gabriel et al. É possível identificar indivíduos com comprometimento cognitivo leve e doença de Alzheimer usando uma bateria neuropsicológica de 30 minutos?. Rev. psiquiatr. clín. [online]. 2013, vol.40, n.4, pp.139-143. ISSN 0101-6083.  https://doi.org/10.1590/S0101-60832013000400003.

CONTEXTO: A diferenciação de pacientes com diagnósticos de demência e de comprometimento cognitivo leve (CCL) pode exigir avaliação neuropsicológica. MÉTODOS: Cento e trinta e um pacientes idosos consecutivos referidos para avaliação (37 controles-clínicos, 41 com CCL amnéstico e 53 com DA possível/provável) foram diagnosticados com bateria neuropsicológica completa, RM e dados clínicos. Todos os resultados foram codificados de forma cega e posteriormente avaliados com parte dos testes para reclassificar indivíduos com CCL, demência ou controles-clínicos. Concordância entre as baterias foi calculada. Utilizamos curvas ROC para estabelecer sensibilidade e especificidade da bateria breve para discriminar: (i) controles-clínicos de um grupo de demência e CCL; (ii) indivíduos com demência daqueles indivíduos sem demência; (iii) controles clínicos daqueles indivíduos com diagnóstico de CCL. Comparamos o desempenho dos três grupos em todas as tarefas da bateria completa. RESULTADOS: Todos os testes neuropsicológicos mostraram diferenças entre controles-clínicos e grupo de demência. A comparação entre CCL e outros grupos mostrou, principalmente, diferenças em tarefas de memória. Concordância entre baterias breve e completa foi substancial (kappa = 0.805). Análises com curvas ROC demonstraram boas sensibilidade e especificidade quando comparados grupos de indivíduos com demência e sem demência (grupos de CCL e DA agrupados) e grupos de controle-clínico de indivíduos com declínio cognitivo (CCL associado à DA). Por outro lado, sensibilidade e especificidade diminuíram consideravelmente para discriminar controles-clínicos de indivíduos com diagnóstico de CCL. CONCLUSÃO: O uso de bateria breve pode não ser recomendado para discriminar controles-clínicos de indivíduos com CCL, porém o uso pode estar indicado para diferenciar grupos de especificidade menor [demência versus não demência ou grupos patológicos (demência e CCL) de grupo não patológicos (controles clínicos)].

Palavras-chave : Doença de Alzheimer; avaliação cognitiva; demência; memória; comprometimento cognitivo leve.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons