SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número2Depressão pós-parto e percepção de suporte social durante a gestaçãoTradução e adaptação transcultural para o português brasileiro da Scale for Quality of Sexual Function (QSF) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul

versão impressa ISSN 0101-8108

Resumo

GUIDOLIN, Bruno Luiz  e  CELIA, Salvador Antônio Hackmann. Sintomas depressivos e de ansiedade em mães durante internação pediátrica em um hospital universitário. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul [online]. 2011, vol.33, n.2, pp. 80-86.  Epub 12-Ago-2011. ISSN 0101-8108.  http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082011005000012.

INTRODUÇÃO: O período de tratamento e recuperação de uma criança hospitalizada pode ser longo. Durante esse tempo em que precisa estar inserida no ambiente hospitalar, muitas vezes institui-se uma crise na vida da criança e da mãe. OBJETIVO: Avaliar a prevalência de sintomas de ansiedade e depressão materna em mulheres que tiveram seus filhos internados na ala pediátrica do hospital universitário da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). MÉTODOS: Este foi um estudo transversal, com aplicação dos Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck (Beck Anxiety and Depression Inventories, respectivamente BAI e BDI) em 140 mulheres que se encontravam entre 31 e 365 dias após o parto. Adotamos o ponto de corte > 20 nas escalas BAI e BDI para definir a presença de ansiedade e depressão. RESULTADOS: Do total, 43 mulheres (30,7%) apresentaram escores > 20 no BDI, ou seja, foram consideradas deprimidas; 46 (32,9%) apresentaram escores > 20 no BAI, tendo sido consideradas ansiosas; 26 mulheres (18,6%) apresentavam-se ansiosas e deprimidas. Mulheres em situação de maior vulnerabilidade social apresentaram depressão e ansiedade com maior frequência, especificamente mulheres mais jovens, com menor escolaridade e menor renda, sem plano privado de saúde e com mais filhos. CONCLUSÕES: A atuação preventiva de equipes multidisciplinares, nos primeiros meses após o parto, é necessária devido à alta frequência de sintomas depressivos e de ansiedade nas mães. Com isso, essas mães que se encontram em um ambiente hospitalar podem ser encaminhadas para profissionais de saúde mental adequados.

Palavras-chave : Ansiedade; depressão pós-parto; prevalência; hospitalização.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português