SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 issue82Beyond Tordesilhas: Uncertain ItinerariesTame the Waters and Hinterlands of the Intra-American Border: The Centrality of the Amazonian Waterways in the Iberian Disputes of the Treaty of Santo Ildefonso author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de História

Print version ISSN 0102-0188On-line version ISSN 1806-9347

Abstract

ROMANI, Carlo Maurizio. História imperial, ciência e poder:a disputa de fronteira anglo-brasileira. Rev. Bras. Hist. [online]. 2019, vol.39, n.82, pp.83-105.  Epub Dec 09, 2019. ISSN 0102-0188.  https://doi.org/10.1590/1806-93472019v39n82-05.

O artigo trata da ciência como veículo produtor de um discurso de verdade sobre a disputa diplomática por limites geográficos entre diferentes nações no século XIX. A mudança do estatuto que a ciência adquiriu entre os séculos XVIII e XIX como instrumento para solução de conflitos é trabalhada especificamente na análise do caso da disputa anglo-brasileira pelo Pirara, terras fronteiriças entre Roraima e Guiana Inglesa, lugar de encontro da bacia do rio Essequibo com a do Amazonas. A ciência inglesa manifestou-se na disputa com o Brasil produzindo um mapeamento cartográfico muito bem elaborado, construtor de um discurso do verdadeiro sobre o território. A representação gráfica, mais do que a ocupação humana, teve função legitimadora da posse territorial na disputa judicial sobre o Pirara. O discurso da autoridade científica baseou-se na obra cartográfica produzida por Robert Schomburgk (1840; 1841; 1843), cuja passagem pela região pode ser definida como o ponto de inflexão nessa disputa (Figura 1).

Keywords : história imperial; ciência; fronteiras; Pirara.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )