SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número3Produtividade de sete genótipos de melancia em DouradosAvaliação de herbicidas de pós-emergência na cultura da cebola índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Horticultura Brasileira

versão impressa ISSN 0102-0536

Resumo

LEDO, Francisco J. da S.; SOUSA, João A. de  e  SILVA, Marcos R. da. Desempenho de cultivares de alface no Estado do Acre. Hortic. Bras. [online]. 2000, vol.18, n.3, pp.225-228. ISSN 0102-0536.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362000000300017.

Devido às condições ambientais verificadas no estado do Acre, caracterizado pela ocorrência de temperaturas elevadas e alta precipitação, as cultivares tradicionalmente utilizadas pelos produtores apresentam baixo rendimento e qualidade. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o comportamento das novas cultivares de alface disponíveis no mercado, em termos de características agronômicas e rendimento, nas condições edafoclimáticas de Rio Branco, Acre. Para isso foram realizados dois ensaios no campo experimental da Embrapa Acre, em um solo do tipo Argissolo Vermelho-Escuro, textura argilosa. O primeiro de maio a julho de 1996 (período seco) e o segundo de dezembro de 1996 a fevereiro de 1997 (período chuvoso). Foram avaliadas as cultivares Babá de Verão, Brisa, Carolina AG-576, Elisa, Lucy Brown, Marisa AG-216, Piracicaba 65, Regina 71, Tainá, Simpson, Vanessa e Verônica, sendo que 'Regina 71' e 'Elisa' foram incluídas apenas no ensaio do período seco. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com três repetições. No período seco, as cultivares Simpson, Lucy Brown e Regina 71 apresentaram os maiores pesos médios (373; 362 e 341 g, respectivamente) e produções comerciais de 49,8; 48,3 e 45,5 t/ha, respectivamente. Em geral, as cultivares dos tipos lisa sem cabeça e lisa com cabeça apresentaram maior índice de ataque de nematóide (Meloidogyne javanica) quando comparadas às do tipo crespa. No ensaio realizado no período chuvoso, as cultivares Marisa AG-216, Verônica, Lucy Brown, Brisa, Tainá e Piracicaba-65 apresentaram os maiores pesos médios e produções comerciais. Entretanto, as médias obtidas foram bem inferiores às verificadas no ensaio do período seco, variando de 164 a 198 g para o peso médio, e 21,9 a 25,9 t/ha para produção comercial. Dentre as cultivares avaliadas no período seco, Regina 71 (lisa, sem cabeça) e Carolina AG-576 (lisa, com cabeça) destacaram-se entre as do tipo lisa, apresentando folhas de tamanho uniforme e bem arranjadas. Entre as de folha crespa solta destacaram-se as cultivares. Verônica e Marisa. A cultivar Lucy Brown do tipo americana (crisp head) também foi bastante produtiva.

Palavras-chave : Lactuca sativa L.; Meloidogyne javanica; rendimento; resistência ao florescimento prematuro.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons