SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número1Concentração de nutrientes e produção do tomateiro podado e adensado em função do uso de fósforo, de gesso e de fontes de nitrogênioEfeito do óleo mineral e do detergente neutro na eficiência de controle da mosca-branca por betacyfluthrin, dimethoato e methomyl no meloeiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Horticultura Brasileira

versão impressa ISSN 0102-0536versão On-line ISSN 1806-9991

Resumo

OLIVEIRA, Ademar P. et al. Uso de esterco bovino e húmus de minhoca na produção de repolho híbrido. Hortic. Bras. [online]. 2001, vol.19, n.1, pp.70-73. ISSN 0102-0536.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362001000100014.

Comparou-se a eficácia do esterco bovino e húmus de minhoca na produção de repolho, híbrido Matsukaze, em experimento realizado no Centro de Ciências Agrárias da UFPB, Areia, de 10/12/97 a 05/03/98. Os tratamentos utilizados foram 20; 30; 40; 50 e 60 t/ha de esterco bovino e 10; 15; 20; 25 e 30 t/ha de húmus de minhoca e tratamento testemunha (sem matéria orgânica). O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados com onze tratamentos distribuídos em esquema fatorial (5 x 2) + 1, em quatro repetições. Foram avaliados o diâmetro longitudinal, transversal, índice de formato e compacidade da cabeça, peso médio e produção total de cabeças. A dose de 46,0 t/ha de esterco bovino e 29,0 t/ha de húmus de minhoca resultaram em maiores diâmetros longitudinais na cabeça de repolho (13 e 12 cm, respectivamente). A dose de 47,0 t/ha de esterco bovino e 20,0 t/ha de humus de minhoca proporcionaram a formação de cabeças com maiores diâmetros transversais (13 e 11 cm, respectivamente). Todas as doses de esterco bovino induziram a formação de cabeças mais uniformes e compactas, enquanto a dose de 20 t/ha de húmus de minhoca propiciou a formação de cabeças desuniformes de baixa aceitação comercial. A dose de 41,0 t/ha de esterco bovino promoveu máximo peso médio (900 g) e máxima produtividade (47,0 t/ha) de cabeças, enquanto as doses de 27,0 e 29,0 t/ha de húmus foram responsáveis pelo peso médio máximo (700 g) e máxima produtividade (38,0 t/ha), respectivamente.

Palavras-chave : Brassica oleracea var. capitata; matéria orgânica; produção.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons