SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 número3Fisiologia e produção de cultivares de batata-doce em função da época de colheitaProdução de biomassa, acúmulo de nitrato, teores e exportação de macronutrientes da alface sob sombreamento índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Horticultura Brasileira

versão impressa ISSN 0102-0536versão On-line ISSN 1806-9991

Resumo

VIDIGAL, Sanzio Mollica; PACHECO, Dilermando Dourado  e  FACION, Cláudio Egon. Crescimento e acúmulo de nutrientes pela abóbora híbrida tipo Tetsukabuto. Hortic. Bras. [online]. 2007, vol.25, n.3, pp.375-380. ISSN 0102-0536.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362007000300011.

Um experimento foi conduzido em Jaíba (MG) para avaliar o crescimento e o acúmulo de nutrientes pela abóbora híbrida, cv. Suprema. As amostragens de plantas foram realizadas aos 28; 42; 56; 70; 84 e 98 dias após a semeadura (DAS) para determinação da matéria seca das folhas, caule, flor, fruto e raiz. A planta teve lento crescimento até 56 DAS e a partir daí o crescimento intensificou-se até o final do ciclo. A produção total de matéria seca máxima ocorreu aos 89 DAS, atingindo 1.657,92 g planta-1. Os frutos acumularam mais matéria seca que outros órgãos da planta. A taxa de crescimento absoluto da planta e dos frutos foram 124,25 e 172,75 g planta-1 dia-1, aos 74 e 79 dias, respectivamente. A absorção de nutrientes seguiu o padrão da curva de acúmulo de matéria seca pelas plantas. O acúmulo de nutrientes foi reduzido nos primeiros 42 DAS, intensificando-se a partir daí, acumulando continuamente até o final do ciclo para N, S, Mg e os micronutrientes. O K foi o nutriente mais absorvido pela planta, seguido do N e Ca. A ordem de macronutrientes acumulados foi K>N>Ca>P>Mg>S e de micronutrientes foi Fe>Mn>Zn>Cu. Na colheita, aos 98 DAS, 69% da matéria seca alocou-se nos frutos, 19% nas folhas, 8% no caule, e o restante nas flores e raízes. Os nutrientes N, K, S e Cu acumularam-se preferencialmente nos frutos, enquanto o P, Ca, Mg, Zn, Fe e Mn na parte vegetativa. Os frutos exportaram 51,0 kg ha-1 de N; 12,4 kg ha-1 de P; 61,4 kg ha-1 de K; 3,6 kg ha-1 de S; 8,8 kg ha-1 de Ca e 3,5 kg ha-1 de Mg, e 11,4 g ha-1 de Cu; 61,6 g ha-1 de Zn; 126,6 g ha-1 de Fe e 44,3 g ha-1 de Mn.

Palavras-chave : C. maxima x C. moschata; Tetsukabuto; análise do crescimento; nutrição macro e micronutrientes.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons