SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número3Heterose e capacidade combinatória em pimentas ornamentaisProdução e qualidade de morangueiro cultivado sob diferentes cores de cobertura de túneis baixos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Horticultura Brasileira

versão impressa ISSN 0102-0536versão On-line ISSN 1806-9991

Resumo

ANTONIO, Adilson C; SILVA, Derly JH; ARAUJO, Wagner L  e  CECON, Paulo R. Influência do sistema de cultivo no crescimento de plantas de tomate. Hortic. Bras. [online]. 2017, vol.35, n.3, pp.358-363. ISSN 0102-0536.  http://dx.doi.org/10.1590/s0102-053620170307.

O objetivo do trabalho foi avaliar o crescimento do tomateiro cultivar Upiã nos sistemas de cultivo Vertical, Cerca Cruzada e Viçosa, visando obter esclarecimento para os ganhos produtivos alcançados no sistema Viçosa. O experimento foi conduzido em Viçosa-MG, no período de 21 de agosto a 05 de dezembro de 2012, no esquema de parcelas subdivididas, sendo as parcelas representadas pelos sistemas de cultivo: Vertical, tutorado com fitilho em espaçamento 1,0 x 0,5 m; Cerca Cruzada, tutorado com bambu em espaçamento de 1,0 x 0,5 m; e Viçosa, tutorado com fitilho em espaçamento 2,0 x 0,2 m. As subparcelas foram compostas pelas épocas de amostragem das plantas: 15, 30, 45, 60 e 75 dias após o transplantio. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições. Cada parcela foi constituída por três linhas de 10 plantas, perfazendo um total de 30 plantas por parcela, sendo avaliadas as quatro plantas centrais de cada parcela. Avaliou-se matéria seca de folhas (MSF), caule (MSC), inflorescências (MSI), frutos (MSFr) e total (MST). Utilizando-se a área foliar, medida em escâner digital, e as massas secas previamente obtidas, foram determinados os seguintes índices fisiológicos de crescimento: índice de área foliar (IAF), área foliar específica (AFE), taxa de crescimento relativo (TCR) e taxa assimilatória líquida (TAL). O sistema Viçosa alterou o padrão de crescimento do tomateiro, quantificado pela análise de crescimento, em relação ao Cerca Cruzada e Vertical. O prolongamento da segunda fase de crescimento para a matéria seca de frutos, possivelmente, explicaria os ganhos produtivos obtidos no Sistema Viçosa. Estudos adicionais são necessários para esclarecer a relação entre a duração da 2a fase de crescimento da matéria seca de frutos, os índices fisiológicos AFE, IAF e TAL com o tamanho e produção de frutos do tomateiro.

Palavras-chave : Solanum lycopersicum; ecofisiologia; índices fisiológicos..

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )