SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número3Desempenho agronômico de híbridos de minitomate em diferentes sistemas de condução e número de hastesDesempenho de clones avançados de batata: vigor de planta, produtividade e peso específico índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Horticultura Brasileira

versão impressa ISSN 0102-0536versão On-line ISSN 1806-9991

Resumo

PAULUS, Dalva et al. Épocas de colheita e manejo de poda na pimenta: produção e pungência dos frutos. Hortic. Bras. [online]. 2017, vol.35, n.3, pp.434-439. ISSN 0102-0536.  http://dx.doi.org/10.1590/s0102-053620170320.

Alterações na arquitetura da planta, como a poda apical e a colheita na época certa, são práticas de manejo que podem ser adotadas com a finalidade de obter não apenas maior produção de frutos, mas principalmente frutos de qualidade e pungência, preferidos pelo mercado consumidor. Objetivou-se avaliar manejo da poda e épocas de colheita sobre o crescimento, produção e pungência de frutos de pimenta, conduzida a campo. Foram estudadas nove épocas de colheita {90, 101, 116, 131, 146, 161, 176, 191, 206 e 221 dias após o transplantio (DAT)} e dois sistemas de manejo (poda e sem poda). Os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial (9x2), com parcelas subdivididas, no delineamento blocos ao acaso, com três repetições. As variáveis analisadas das características agronômicas foram: altura, clorofila, área foliar, sólidos solúveis, número de frutos e produtividade de pimenta. O teor de capsaicina e dihidrocapsaicina foi determinado de frutos colhidos em duas épocas (146 e 161 DAT) e nos sistemas de manejo (com e sem poda), em esquema fatorial (2x2), no delineamento blocos ao acaso, com cinco repetições. Verificou-se que as variáveis de crescimento e produção não diferiram significativamente para o manejo com poda e sem poda, com valor médio de 71,8 frutos/planta e produtividade de 429,7 g/planta. As características agronômicas ajustaram-se ao modelo quadrático. A produção máxima de 529,09 g/planta e o número máximo de frutos por planta de 95,34 foram estimados aos 164,83 e 163,21 DAT, respectivamente. A utilização da poda resultou em frutos com maior teor de capsaicina (363,89 mg/kg) e dihidrocapsaicina (198,27 mg/kg) aos 161 DAT. Conclui-se que o manejo de poda resulta em frutos mais pungentes e de qualidade para indústria, e a época de produção máxima da pimenta BRS Mari estimada aos 164,83 DAT, informação de importância para o produtor de pimenta programar as épocas de colheita.

Palavras-chave : Capsicum annuum; capsaicina; dihidrocapsaicina; arquitetura da planta..

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )