SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número1Crescimento, consumo hídrico e composição mineral de agrião cultivado em hidroponia com águas salobras índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Horticultura Brasileira

versão impressa ISSN 0102-0536versão On-line ISSN 1806-9991

Resumo

LOPES, Carlos Alberto; MELO, Paulo Eduardo de; ROSSATO, Maurício  e  PEREIRA, Arione da S. Melhoramento de batata para resistência à murcha bacteriana no Brasil: um breve histórico vis-à-vis um protocolo de seleção mais efetivo. Hortic. Bras. [online]. 2018, vol.36, n.1, pp.6-12. ISSN 1806-9991.  https://doi.org/10.1590/s0102-053620180102.

A murcha bacteriana (MB), causada por Ralstonia solanacearum, é uma das doenças da batata (Solanum tuberosum subsp. tuberosum) mais importantes no Brasil e a principal causa de rejeição dos campos de certificação de batata-semente. A resistência genética não é uma medida de controle viável atualmente, uma vez que não existem cultivares resistentes comercialmente aceitáveis. O desenvolvimento de cultivares resistentes é um desafio em vista da complexidade genética da resistência, variabilidade do patógeno, ausência de fontes de resistência na espécie e herança tetraploide da cultura. Além disso, até o momento, apenas a seleção de campo tem sido eficaz na identificação de resistência estável em progênies derivadas de cruzamentos com parentes silvestres resistentes. A seleção de campo é laboriosa e exige campos uniformemente infestados. Após muitos anos de melhoramento de germoplasma, identificamos dois clones resistentes, MB-03 e MB9846-01, que produzem tubérculos com características bastante razoáveis. Esses clones estão sendo utilizados em cruzamentos com genótipos elite. Para acelerar o processo de seleção nas progênies, desenvolvemos um protocolo simples de avaliação da doença em casa de vegetação a partir da inoculação de plântulas. A metodologia é apresentada e discutida aqui. Resumidamente, a seleção na fase de plântulas foi efetiva na avaliação de um grande número de genótipos em um período de tempo bastante curto. Seu emprego resultou em um aumento considerável nas taxas de seleção final das progênies no campo, quando comparado à seleção direta no campo, sem o estágio anterior em casa de vegetação. Entretanto, a seleção em campo permanece crucial para confirmar a resistência, estudar a interação genótipo-ambiente e avaliar características agronômicas e dos tubérculos. Entre os clones resistentes previamente identificados em nosso programa, as progênies do clone MB9846-01 apresentaram um índice mais alto de seleção final em campo (resistência a MB + características do tubérculo) que as progênies do clone MB-03, quando ambos foram cruzados com a cultivar suscetível Baraka. O protocolo de seleção precoce em casa de vegetação foi ajustado para permitir a avaliação de cerca de 5.000 plântulas por ano, contando com oito trabalhadores em meio período, quatro em laboratório/casa de vegetação e quatro em campo em períodos críticos.

Palavras-chave : Solanum tuberosum ssp. tuberosum; Ralstonia solanacearum; seleção em casa de vegetação; seleção precoce; taxas de seleção; melhoramento de germoplasma.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )