SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.57 issue6Orbital fat prolapse in a Persian cat. Case reportHypoosmotic test to predict viability of equine chilled semen in different extenders author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

Print version ISSN 0102-0935

Abstract

ARAUJO, M.C.C. et al. Secreção de interferon-tau em embriões bovinos produzidos in vitro frescos e congelados. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. [online]. 2005, vol.57, n.6, pp. 752-756. ISSN 0102-0935.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-09352005000600008.

Avaliou-se a interferência da criopreservação sobre a secreção de interferon-tau (IFN-t) por embriões bovinos produzidos in vitro. Usaram-se dois grupos de tratamentos: I) constituído por embriões não criopreservados (fresco) e II) embriões criopreservados. Os embriões, após atingirem a fase de blastocisto (fresco ou imediatamente após o descongelamento dos criopreservados), continuaram a ser cultivados individualmente por mais sete dias. Do meio de cultivo em que se mantiveram os blastocistos retiraram-se alíquotas com três e sete dias do início do cultivo, para a avaliação da secreção de IFN-t pelos embriões cultivados. Os embriões congelados secretaram menos IFN-t do que aqueles não criopreservados (P<0,05), e com sete dias houve maior secreção do interferon do que com três dias (P<0,05). A criopreservação prejudicou a produção de IFN-t pelo trofoblasto e pode comprometer o reconhecimento materno da gestação e o desenvolvimento do embrião pós-descongelamento.

Keywords : bovino; embrião; PIV; interferon-tau.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English