SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.58 número3Alterações do pH, da P O2 e da P CO2 arteriais e da concentração de lactato sangüíneo de cavalos da raça Árabe durante exercício em esteira de alta velocidadeEcocardiografia modo Doppler pulsado em gatos clinicamente sadios índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

versão impressa ISSN 0102-0935

Resumo

CARDOSO, W.M. et al. Anticorpos específicos para bronquite infecciosa em frangos de corte no Ceará. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. [online]. 2006, vol.58, n.3, pp. 327-332. ISSN 0102-0935.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-09352006000300007.

Utilizaram-se 1120 pintos de um dia de idade, de duas linhagens, não vacinados, para determinar os níveis de anticorpos para o vírus da bronquite infecciosa (VBI) em frangos de corte no estado do Ceará. Quarenta aves de cada linhagem, colocadas em boxes isolados e não vacinadas, foram usadas como controle. As aves vacinadas contra VBI aos 15 e 25 dias foram submetidas a coletas de sangue periódicas para avaliação, pelo ELISA indireto, dos títulos de anticorpos para VBI. As aves com baixos títulos de anticorpos maternos (AcM) não apresentaram títulos significativos ao primeiro estímulo vacinal; para o segundo estímulo, o pico de resposta de GMT 1100 ocorreu aos 45 dias. As com elevado título de AcM não responderam significativamente à primeira vacinação e o pico de resposta ao segundo estímulo de GMT 500 ocorreu aos 45 dias. Não se verificou resposta de anticorpos para o primeiro estímulo vacinal, observando-se resposta tardia somente para o segundo. Os AcM podem ter interferido tanto no primeiro quanto no segundo estímulo, promovendo neutralização da primeira vacinação e resposta diferenciada para a segunda de acordo com o nível, elevado ou baixo, de AcM.

Palavras-chave : frango de corte; bronquite infecciosa; anticorpos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês