SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 issue2Perception of prenatal care among clients of the Brazilian National Health System (SUS): a comparative studyInvestigation into the effect of household triatomine infestation on awareness among inhabitants of settlements and re-settlements in areas infested with Triatoma sordida in São Paulo State, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Cadernos de Saúde Pública

Print version ISSN 0102-311X

Abstract

SOUZA, Luis Eugenio Portela Fernandes de  and  CONTANDRIOPOULOS, André-Pierre. O uso de pesquisas na formulação de políticas de saúde: obstáculos e estratégias. Cad. Saúde Pública [online]. 2004, vol.20, n.2, pp. 546-554. ISSN 0102-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000200023.

Gerir um sistema de saúde requer, entre outras coisas, conhecimentos sobre a realidade sanitária e a administração. É recomendável, portanto, a utilização de conhecimentos científicos pelos gestores da saúde. Todavia, o processo de formulação de políticas e o fazer científico interpõem obstáculos ao uso de pesquisas. Certos empecilhos decorrem de visões reificadoras da tomada de decisão e de concepções objetivistas da ciência. Conceber as práticas político-sanitárias e científicas como jogos de linguagem pode ajudar a superar tais obstáculos. Nessa concepção, o uso de conhecimentos científicos se caracterizaria como um processo de intercâmbio de metáforas significantes entre gestores e cientistas. A adoção de sistemas pluralistas de pesquisa e a aproximação entre pesquisadores e formuladores de políticas, num contexto de socialização do conhecimento, seriam estratégias centrais para melhorar o intercâmbio. No fundamental, as estratégias seriam eficazes se conseguissem reaproximar a ciência do senso comum, transformando a ambos.

Keywords : Política de Saúde; Conhecimento; Estratégias; Formulação de Políticas.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese