SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número10Determinantes socioeconômicos do atendimento odontológico durante a gravidez em Cali, ColômbiaAssociação entre padrões alimentares e índice de massa corporal em amostra de crianças e adolescentes do Nordeste brasileiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Cadernos de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0102-311X

Resumo

ROCHA, Kátia Bones et al. Classe social, fatores psicossociais de risco ocupacional e sua associação com saúde autopercebida e mental no Chile. Cad. Saúde Pública [online]. 2014, vol.30, n.10, pp.2219-2234. ISSN 0102-311X.  https://doi.org/10.1590/0102-311X00176213.

O objetivo foi analisar a associação entre classe social, fatores psicossociais de risco laboral e saúde autopercebida e saúde mental entre a população trabalhadora chilena. Estudo transversal com os dados da Primera Encuesta Nacional de Condiciones de Empleo, Trabajo, Calidad de Vida y Salud de los trabajadores y trabajadoras en Chile (N = 9.503). As variáveis dependentes são: saúde autopercebida e saúde mental. As variáveis explicativas são a classe social (neo-marxista), os fatores psicossociais de risco laboral e privação material. Foram realizadas análises descritivas e de regressão logística. Existem desigualdades na distribuição dos fatores psicossociais de risco laboral segundo classe social e sexo. Além disso, a classe social e os fatores de risco psicossociais no trabalho estão associados a uma distribuição desigual da saúde autopercebida e saúde mental. As intervenções na área da saúde dos trabalhadores devem considerar a classe social e fatores de risco psicossociais a que os trabalhadores estão expostos.

Palavras-chave : Classe Social; Trabalho; Saúde Mental.

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Espanhol     · Espanhol ( pdf )