SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número10Classe social, fatores psicossociais de risco ocupacional e sua associação com saúde autopercebida e mental no Chile índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Cadernos de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0102-311X

Resumo

SANTOS, Nadya Helena Alves dos et al. Associação entre padrões alimentares e índice de massa corporal em amostra de crianças e adolescentes do Nordeste brasileiro. Cad. Saúde Pública [online]. 2014, vol.30, n.10, pp.2235-2245. ISSN 0102-311X.  https://doi.org/10.1590/0102-311X00178613.

O objetivo deste estudo foi identificar a associação entre padrões alimentares e índice de massa corporal (IMC) em crianças e adolescentes. Estudo transversal realizado em amostra de 1.247 estudantes entre 6 a 12 anos, de ambos os sexos, matriculados na rede pública de ensino de São Francisco do Conde, Bahia, Brasil. Para avaliar o estado nutricional foi utilizado o IMC. Informações de frequência de consumo alimentar, além das demográficas e socioeconômicas foram obtidas para cada participante. Os padrões alimentares foram obtidos a partir de análise fatorial. A prevalência de excesso ponderal foi de 17,3% (10,2% de sobrepeso e 7,1% de obesidade). Foram encontrados dois padrões alimentares: padrão “obesogênico” e “prudente”. O primeiro, caracterizado pelo consumo de doces, pratos típicos brasileiros, pastelarias, fast food, óleos, leite, cereais, bolos e molhos, esteve positivamente associado ao aumento do IMC (ßi = 0,244; p = 0,018). Os resultados apontaram associação do padrão obesogênico com aumento do IMC.

Palavras-chave : Comportamento Alimentar; Índice de Massa Corporal; Adoslecente; Criança.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )