SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número10Soroprevalência de infecção pelo Trypanosoma cruzi na população rural do Estado de Sucre, VenezuelaCobertura por plano de saúde ou cartão de desconto: inquérito domiciliar na área de abrangência da Estratégia Saúde da Família índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Cadernos de Saúde Pública

versão On-line ISSN 1678-4464

Resumo

BEZERRA, Vanessa Moraes; ANDRADE, Amanda Cristina de Souza; MEDEIROS, Danielle Souto de  e  CAIAFFA, Waleska Teixeira. Pré-hipertensão arterial em comunidades quilombolas do sudoeste da Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública [online]. 2017, vol.33, n.10, e00139516.  Epub 26-Out-2017. ISSN 1678-4464.  https://doi.org/10.1590/0102-311x00139516.

A pré-hipertensão arterial é precursora da hipertensão arterial e fator de risco para doenças cardiovasculares. Populações vulneráveis estão mais propensas a esse tipo de agravo devido às dificuldades de acesso aos serviços de saúde. Pesquisa anterior realizada em comunidades quilombolas reportou elevada prevalência de hipertensão arterial. Este trabalho teve por objetivo estimar a prevalência de pré-hipertensão em quilombolas e avaliar fatores associados. Trata-se de um estudo transversal de base populacional realizado com indivíduos com 18 anos ou mais. A pré-hipertensão foi definida como pressão arterial sistólica ≥ 121mmHg e < 140mmHg e/ou diastólica ≥ 81mmgH e < 90mmHg. Empregou-se análise multivariada valendo-se de regressão de Poisson com variância robusta. Também foram calculadas frações atribuíveis populacionais (FAPs) para os fatores associados modificáveis. A prevalência de pré-hipertensão foi de 55% (IC95%: 50,2-59,7). O sexo masculino (RP = 1,54), a escolaridade de 1-4 anos completos de estudos (RP = 1,44) e as categorias de IMC sobrepeso (RP = 1,39) e obesidade (RP = 1,87) apresentaram associação positiva com a pré-hipertensão. Maiores frações atribuíveis foram observadas entre os indivíduos com escolaridade de 1-4 anos de estudos (13,7%) e entre os classificados com sobrepeso (9,35%) e obesidade (4,6%). A prevalência de pré-hipertensão nas comunidades quilombolas foi elevada, e sua identificação pode permitir o rastreamento e a sensibilização de um grupo com maior risco cardiovascular e de progressão para a hipertensão arterial. Observa-se a necessidade de amplo acesso a serviços de saúde e ações específicas voltadas à orientação, prevenção e promoção da saúde nessa população.

Palavras-chave : Pré-Hipertensão; Comunidades Vulneráveis; Estudos Transversais.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )