SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 suppl.1Pressão laboral, saúde e condições de trabalho dos professores da Educação Básica no Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Cadernos de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0102-311Xversão On-line ISSN 1678-4464

Resumo

RODRIGUEZ-LOUREIRO, Lucía et al. Efeito conjunto das horas de trabalho remunerado e de múltiplos empregos sobre o absenteísmo por motivo de saúde entre professores de ensino básico no Brasil: Estudo Educatel. Cad. Saúde Pública [online]. 2019, vol.35, suppl.1, e00081118.  Epub 23-Maio-2019. ISSN 0102-311X.  https://doi.org/10.1590/0102-311x00081118.

O estudo teve como objetivos avaliar o efeito conjunto das horas semanais de trabalho remunerado e do fato de ter vários empregos sobre o absenteísmo por motivo de doença entre professores de ensino básico, desagregado por sexo, no Brasil. Este estudo teve como base um inquérito realizado em uma amostra representativa de 5.116 professores de ensino básico em atividade no Brasil entre 2015 e 2016 (Estudo Educatel). Criamos uma variável dummy para avaliar o efeito conjunto das horas semanais de trabalho remunerado [padrão (35-40 horas); tempo parcial (< 35 horas); semana de trabalho moderadamente longa (41-50 horas) e muito longa (> 50 horas)] e múltiplos empregos (trabalho em mais de uma escola - não/sim). A categoria de referência foi o trabalho em uma única escola durante 35-40 horas semanais. Realizamos modelos de regressão de Poisson com variância robusta para obter razões de prevalência (RP) e intervalos de confiança de 95% (IC95%) para a associação com ausência no trabalho por motivo de saúde alegado pelo próprio indivíduo, e com atestado médico. Os modelos foram ajustados para idade, tipo de vínculo de trabalho e salário, e estratificados por sexo. Os resultados só mostraram associações significativas com absenteísmo por motivo de saúde em professores que trabalhavam em mais de uma escola. Foram observadas associações com ausência por motivo de saúde alegado pelo próprio indivíduo em mulheres com semana de trabalho padrão e em homens com semana moderadamente longa, e em mulheres e homens que trabalhavam mais de 50 horas por semana (RP: 1,21, IC95%: 1,09-1,35; RP: 1,40, IC95%: 1,18-1,66; respectivamente). Foram encontradas associações com ausência com atestado médico entre professores que trabalhavam mais de 50 horas por semana, em mulheres (RP: 1,30, IC95%: 1,03-1,63) e homens (RP: 1,41, IC95%: 1,04-1,92). Professores brasileiros que trabalham horas longas em várias escolas podem sofrer problemas de saúde, levando ao absenteísmo.

Palavras-chave : Professores Escolares; Saúde do Trabalhador; Absenteísmo; Fatores Socioeconômicos.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )