SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número10Intercambialidade de produtos biológicos no Sistema Único de Saúde (SUS): principais desafios regulatórios índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Cadernos de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0102-311Xversão On-line ISSN 1678-4464

Resumo

VIEIRA, Luna Strieder et al. Nível socioeconômico ao longo da vida e índice de massa corporal: uma revisão sistemática e metanálise. Cad. Saúde Pública [online]. 2019, vol.35, n.10, e00125518.  Epub 14-Out-2019. ISSN 1678-4464.  https://doi.org/10.1590/0102-311x00125518.

Este trabalho teve como objetivo realizar uma revisão sistemática da associação entre nível socioeconômico de acordo com os modelos de curso de vida e índice de massa corporal (IMC) em adultos. Foi realizada uma revisão com base nas diretrizes PRISMA. Os estudos foram identificados nas bases de dados MELINE/PubMed, LILACS e Web of Science. Os artigos elegíveis investigaram a associação entre pelo menos um modelo de curso de vida (acúmulo de riscos, período crítico ou mobilidade social) e IMC. Para avaliar a qualidade dos artigos selecionados, a lista de critérios NOS foi aplicada a cada estudo. Foram selecionados 11 artigos para a revisão sistemática e sete artigos para a metanálise. A pontuação média e a mediana na lista NOS foram 6,4, dentro de uma pontuação possível de 8. O modelo mais utilizado foi o da mobilidade social. Na metanálise, entre mulheres, houve associação entre nível socioeconômico ao longo da vida e IMC. A diferença média (DM) no IMC foi maior entre indivíduos que permaneceram com nível socioeconômico baixo ao longo da vida, comparado aos que mantiveram nível socioeconômico alto (DM: 2,17; IC95%: 1,48; 2,86). Antes disso, a DM no IMC foi maior entre indivíduos com mobilidade ascendente, comparado àqueles que mantiveram nível socioeconômico alto ao longo da vida (DM: 1,20; IC95%: 0,73; 1,68). O risco de sobrepeso também foi maior entre mulheres que mantiveram nível socioeconômico baixo (RR sumário: 1,70; IC95%: 1,05; 2,74); porém, de acordo com os critérios GRADE, os estudos apresentaram evidências de qualidade muito baixa. Não foi observada associação em homens. O nível socioeconômico baixo em algum momento da vida está associado ao IMC mais alto na vida adulta.

Palavras-chave : Revisão; Metanálise; Índice de Massa Corporal; Situação Socioeconômica.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )