SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número3Mosses as indicators of atmospheric metal deposition in an industrial area of southern BrazilParmelioid eciliate lichens (Parmeliaceae, Ascomycota) from rocky shores of Paraná and Santa Catarina, Brazil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Acta Botanica Brasilica

versión impresa ISSN 0102-3306

Resumen

OLIVEIRA, Ana Cláudia Pereira de; PENHA, Alessandra dos Santos; SOUZA, Raquel Franco de  y  LOIOLA, Maria Iracema Bezerra. Composição florística de uma comunidade savânica no Rio Grande do Norte, Nordeste do Brasil. Acta Bot. Bras. [online]. 2012, vol.26, n.3, pp.559-569. ISSN 0102-3306.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33062012000300006.

No município de Rio do Fogo foi registrada, em 1976, somente através de imagens de radar, uma comunidade de Cerrado para a qual, até então, não havia estudo in loco. Algumas questões foram elaboradas sobre essa comunidade: A região delimitada e descrita por meio de imagens de radar pode ser considerada Cerrado, do ponto de vista florístico? Qual a fitogeografia das espécies registradas nessa comunidade? Há ocorrência de espécies raras, endêmicas ou ameaçadas de extinção na composição florística dessa comunidade? Para responder a estas questões realizou-se o levantamento florístico em 400 ha, no período de agosto/2007 a setembro/2009. Os dados indicaram que das 94 espécies registradas em Rio do Fogo, 73 são associadas ao Cerrado, 69 também se distribuem na Caatinga, 60 na Floresta Atlântica, 47 na Floresta Amazônica, 14 no Pantanal e 11 no Pampa. Foram listadas pela primeira vez para o Rio Grande do Norte (RN) 39 espécies; Stylosanthes gracilis Kunth (Fabaceae) e Aristida laevis (Nees) Kunth (Poaceae) são citadas pela primeira vez para o Nordeste do Brasil. Aspilia procumbens Baker (Asteraceae) apresentou distribuição restrita ao estado e insere-se na categoria criticamente em perigo; já Stilpnopappus cearensis Hubber na categoria vulnerável à extinção. Concluiu-se que essa área pode ser classificada floristicamente como pertencente ao domínio do Cerrado, podendo ser apontada como área-chave para a conservação.

Palabras clave : áreas-chave; biodiversidade; conservação; savana.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · Portugués ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons