SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 número2Osteotomias do rádio distal com uso de placa volar de ângulo fixoLesão do ligamento cruzado anterior: tratamento e reabilitação. Perspectivas e tendências atuais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ortopedia

versão impressa ISSN 0102-3616

Resumo

HOFFMANN, Cassiano Ricardo; TRALDI, Eduardo Franceschini  e  POSSER, Alexandre. Estudo epidemiológico das fraturas femorais diafisárias pediátricas. Rev. bras. ortop. [online]. 2012, vol.47, n.2, pp.186-190. ISSN 0102-3616.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-36162012000200007.

OBJETIVO: Avaliar as características pessoais, das fraturas e do tratamento e suas complicações em pacientes com fraturas femorais diafisárias pediátricas atendidos no Serviço de Ortopedia Pediátrica do Hospital Infantil Joana de Gusmão. MÉTODOS: Trata-se de estudo retrospectivo e transversal com população composta por pacientes com fraturas diafisárias de fêmur, com idade entre o nascimento e 14 anos e 11 meses, divididos em quatro grupos etários. As informações foram obtidas nos prontuários e transferidas para o questionário de pesquisa que apresentava variáveis pessoais, das fraturas e do tratamento e suas complicações. RESULTADOS: A população do estudo foi composta por 96 pacientes. A média de idade encontrada foi de 6,8 anos. Houve predomínio no sexo masculino, fratura fechada, lado direito, 1/3 médio e traço simples. Quanto à etiologia das fraturas, houve predomínio na amostra global de acidentes de trânsito. A maioria dos pacientes (74-77,1%) apresentou fratura de fêmur como lesão isolada. Houve predomínio do tratamento conservador na faixa etária menor que seis anos e do tratamento cirúrgico na faixa etária de seis anos a 14 anos e 11 meses. As complicações observadas até a união óssea foram: discrepância, infecção e limitação de movimento. O tempo médio de consolidação foi de 9,6 ± 2,4 semanas, variando com a idade. CONCLUSÃO: As características das fraturas estudadas foram semelhantes às citadas na literatura e o tratamento empregado apresentou bom resultado. O Hospital Infantil Joana de Gusmão (HIJG) tem utilizado o tratamento proposto pela literatura nas fraturas femorais diafisárias pediátricas.

Palavras-chave : Fraturas do Fêmur; Criança; Estudos Retrospectivos.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons