SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.49 número4Influência do corticoide na cicatrização do manguito rotador de ratos – Estudo biomecânicoAcidentes de transporte de crianças e adolescentes em serviço de emergência de hospital de ensino, Zona Sul da cidade de São Paulo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ortopedia

versão impressa ISSN 0102-3616versão On-line ISSN 1982-4378

Resumo

ROOS, Bruno Dutra et al. Prevalência de marcadores microbiológicos em tecido ósseo de doadores e cadáveres do Banco de Tecidos Musculoesqueléticos de Passo Fundo. Rev. bras. ortop. [online]. 2014, vol.49, n.4, pp.386-390. ISSN 1982-4378.  https://doi.org/10.1016/j.rboe.2014.03.005.

Objetivo:

Fazer uma análise epidemiológica dos principais marcadores microbiólogicos dos tecidos ósseos processados de agosto de 2007 a outubro de 2011 no Banco de Tecidos Musculoesqueléticos do Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo.

Métodos:

Foram feitas 202 captações de tecidos musculoesqueléticos para o Banco de Tecidos. Desse total, 159 foram de doadores e 43 de cadáveres. Foram solicitados testes sorológicos para hepatite B, hepatite C, sífilis, citomegalovírus, doença de Chagas, toxoplasmose, HIV e HTLV.

Resultados:

Dos 159 doadores, 103 (64,75%) eram do sexo masculino e 56 (35,25%) do feminino. A idade média foi de 59,35 ± 8,87 anos. Foram descartados 76 (47,8%) tecidos de doadores. Não houve diferença significativa no número de descartes em relação a sexo (p = 0,135) ou idade (p = 523). A principal causa de descarte foi a sorologia positiva para o vírus da hepatite B, responsável por 48 (63,15%) descartes. Já entre os 43 cadáveres, a média de idade foi de 37,84 ± 10,32 anos. Desses, 27 (62,8%) eram do sexo masculino e 16 (37,2%) do feminino. Foram descartados seis (13,9%) cadáveres. A principal causa de descarte foi a sorologia positiva para o vírus da hepatite C, responsável por três (50%) casos. Não houve diferença significativa no número de descartes em relação a sexo (p = 0,21) ou idade (p = 252).

Conclusão:

Houve um número maior de descarte de tecidos de doadores (47,8%) em comparação com os cadáveres (13,9%). Nos doadores, a principal causa de descarte foi a presença de sorologia positiva para o vírus da hepatite B; nos cadáveres, para o vírus da hepatite C.

Palavras-chave : Bancos de ossos; Transplante homólogo/efeito adverso; Doenças virais; Infecções bacterianas.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )